Conselho de Ética da Alesp vota sobre cassação de mandato de Arthur do Val

A cassação do mandato acontece após as falas do deputado em relação às mulheres ucranianas

conselho-vota-sobre-cassacao-de-mandato-de-arthur-do-val
Deputado estadual, Arthur do Val (Crédito: Reprodução / Instagram @arthurmoledoval)

Membros do Conselho de Ética da Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo), votam nesta terça-feira (12) sobre a cassação do mandato do deputado estadual Arthur do Val (União Brasil-SP). A cassação do mandato acontece depois do vazamento de um áudio em que o deputado disse que as mulheres ucranianas “são fáceis porque são pobres”. Segundo a deputada Maria Lúcia Amary (PSDB), os deputados podem votar em consenso ou separado.

Publicidade

Depois que a votação acontecer, o resultado passará pela Mesa Diretora da Alesp que é composta por três deputados, de forma a seguir para o plenário caso tenha o aval. O presidente da assembleia, deputado estadual Carlão Pignatari (PSDB-SP) é quem decidirá quando será votado pelos deputados. Ainda não se sabe quando o processo terá fim.

No plenários os deputados poderão rever a decisão do Conselho de Ética da Alesp. As punições previstas são advertência, censura verbal ou escrita, perda temporária ou perda de mandato. O delegado Olim fez um relatório em que destaca alguns pontos como duas advertências já recebidas pelo mesmo Conselho e o prejuízo das falas de Arthur à imagem da Assembleia.

Arthur do Val chegou a pedir perícia dos áudios e sua defesa a entrar com uma ação judicial no Tribunal de Justiça de São Paulo, para que o processo parasse até que fosse realizada a perícia dos áudios, mas ambos os pedidos forma negados. Nesta sexta-feira (12), a equipe de Arthur do Val publicou nas redes sociais que o deputado precisa do povo. “Nós da Equipe do Arthur do Val convocamos todos a defenderem o mandato e os direitos políticos do Arthur. Ele precisa de vocês HOJE”.

Arthur do Val, também compartilhou uma nota oficial sobre os áudios que vazaram.

Publicidade

*Este texto contém informações retiradas do portal UOL.

 

 

Publicidade