Eduardo Guardia, ex-ministro da Fazenda e CEO da BTG Pactual Asset, morre aos 56 anos

Doutor em economia pela Universidade de São Paulo (USP), Eduardo também foi diretor executivo da B3

eduardo-guardia-ex-ministro-da-fazenda-e-ceo-da-btg-pactual-asset-morre-aos-56-anos
Eduardo Guardia (Crédito: Marcos Oliveira/Agência Senado)

O economista Eduardo Guardia, ex-ministro da Fazenda e CEO da BTG Pactual Asset, morreu nesta segunda-feira (11) aos 56 anos em São Paulo. A causa da morte não foi divulgada.

Publicidade

Eduardo foi ministro da Fazenda durante os últimos nove meses do governo de Michel Temer (MDB). O economista assumiu o cargo após ter atuado como secretário-executivo do Ministério da Fazenda e estava no BTG desde janeiro de 2019.

Doutor em economia pela Universidade de São Paulo (USP), Eduardo também foi diretor de produtos e relações com investidores da BM&F Bovespa, diretor executivo da B3 e diretor financeiro e de relações com investidores da gestora GP Investments.

Em nota, a B3 lamentou o falecimento do economista. “Com a morte de Eduardo Guardia, a B3 se despede de um líder que instilou os melhores valores, que foi exemplo e nos ajudou a construir a empresa que somos. Hoje, muitos de nós também perdemos um amigo, um grande amigo. Nosso país se despede de um homem público que trabalhou e acreditou sempre, em diferentes momentos de sua vida, que nosso papel como cidadãos é tomar as decisões que fazem o Brasil melhor. Eduardo Guardia fará falta. Aos seus familiares e amigos, o carinho de todos aqui da B3 e a certeza de que partilhamos de sua imensa perda”.

O Ministério da Economia também lamentou a morte de Guardia e afirmou que recebeu com pesar e tristeza a notícia do falecimento. “Guardia também foi secretário-executivo da antiga pasta entre 2016 e 2018, e secretário do Tesouro Nacional no início dos anos 2000, entre outros cargos na estrutura do ministério. Durante sua trajetória pública, a atuação de Guardia foi fundamental na construção de soluções importantes para a economia brasileira. O ex-ministro sempre se notabilizou pelo trabalho incansável, a gentileza no trato e o permanente espírito público, inspirando todas as equipes que liderou. O ministro Paulo Guedes relembrou a capacidade de diálogo de Guardia, que contribuiu de forma relevante para a troca de informações institucionais no período de transição de governo. Neste momento de dor, o ministro Guedes e os servidores do ministério da Economia manifestam respeito e solidariedade aos familiares e amigos de Eduardo Guardia”, disse a pasta.

Publicidade

 

Publicidade