FMI vai fechar escritório no Brasil por pressão do governo

O Ministério da Economia disse em nota, que comunicou ao FMI que, a partir de 1º de julho de 2022, não seria mais necessário manter o escritório de Representação Residente em Brasília

FMI vai fechar escritório no Brasil por pressão do governo
Paulo Guedes, Ministro da Economia, já teria adiantado a saída do fundo do país na véspera, durante o evento da Fiesp, em São Paulo (Créditos: Rolex Dela Pena – Pool/Getty Images)

Foi anunciado nesta quinta-feira (16), pelo o Fundo Monetário Internacional (FMI) que seu escritório em Brasília (DF) será fechado  até o dia 30 de junho de 2022, momento que expira o mandato do atual representante no Brasil.

Publicidade

Segundo a CNN, um porta voz disse, “esperamos que a alta qualidade do envolvimento do corpo técnico do Fundo com as autoridades brasileiras continue, à medida que trabalhamos de perto para apoiar o Brasil no fortalecimento de sua política econômica e instituições”

Paulo Guedes, Ministro da Economia, já teria adiantado a saída do fundo do país na véspera, durante o evento da Fiesp, em São Paulo. “Vou dizer com delicadeza que nós estamos dispensando o FMI. Eles estão aqui há bastante tempo, havia bastante desequilíbrio. Pode passear lá fora”, disse.

Guedes ainda citou que a instituição “veio aqui para prever uma queda de 9,7%”no PIB brasileiro. Esta estimativa tinha sido feita no início da pandemia do coronavírus, momento que as previsões apontavam uma queda maior na economia do Brasil, que acabou mostrando uma retração de 4% no ano de 2020.

O Ministério da Economia disse em nota, que comunicou ao FMI que, a partir de 1º de julho de 2022, não seria mais necessário manter o escritório de Representação Residente em Brasília.

Publicidade

“O Fundo mantém escritórios apenas em países com os quais tem programa ativo, o que torna obsoleta a manutenção de um escritório no país. No caso brasileiro, o último acordo financeiro com o FMI ocorreu em 2002 e foi pago antecipadamente em 2005. O Brasil hoje é credor do FMI”, diz o comunicado da pasta.

Ainda disse o ministério que o Brasil valoriza o diálogo construtivo com o FMI, sempre participando ativamente das atividades e iniciativas do Fundo, inclusive aquela que resultaram em auxílio internacional aos países mais vulneráveis durante a pandemia e permanece comprometido em continuar trabalhando para garantir um relacionamento próspero e frutífero com o Organismo.