Segurança Pública

Guarda Civil de SP começará a usar fuzis e carabinas

A Prefeitura informou que 240 agentes já foram “devidamente treinados e habilitados” para o uso deste tipo de armamento.

Guarda Civil de SP começará a usar fuzis e carabinas
A Guarda Civil não tinha treinamento para o uso de armas longas (Crédito: Joe Raedle/Getty Images)

O anúncio de que a Guarda Civil da cidade de São Paulo começará a usar fuzis e carabinas foi feito nesta quarta-feira (20), por meio da Secretaria Municipal de Segurança Urbana. A medida já havia gerado polêmica no fim do ano passado.

Publicidade

A Defensoria Pública, na época, proibiu a compra das armas pela prefeitura, alegando que a liberação necessitaria de um debate público a respeito do tema. Especialistas em segurança pública, também na mesma época, aderiram ao pensamento da Defensoria e criticaram o projeto.

A entrega de algumas armas à Guarda Civil foi feita ainda no fim do ano passado (2021), pelo prefeito Ricardo Nunes (MDB). A proposta partiu de uma emenda do vereador Delegado Palumbo (MDB), e o investimento para a aquisição dos armamentos foi próximo de 400 mil reais, e foi revelado pelo portal de notícias G1.

Agora, em 2022, a Prefeitura informou que 240 agentes já foram “devidamente treinados e habilitados” para o uso deste tipo de armamento. O Governo Municipal ainda informou que espera que mais 600 agentes sejam habilitados até o fim do ano.

Publicidade

O uso das armas longas será permitido por toda a cidade de São Paulo. Os fuzis T4 serão utilizados pela Inspetoria de Operações Especiais (IOPE) e as carabinas de modelo CT9 serão utilizadas pelas Inspetorias Ambientais e Regionais.