Iguá assume hoje serviços de saneamento para Barra e Jacarepaguá

A Iguá foi a vencedora do bloco 2 no leilão da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae), realizado em 30 de abril de 2021, com outorga de R$ 7,2 bilhões, ágio de 129,68%

A empresa de saneamento Iguá iniciou hoje (7) operações como concessionária de água e esgoto no Rio de Janeiro, assumindo os serviços de saneamento nas regiões da Barra e Jacarepaguá, zona oeste da capital fluminense, além dos municípios de Miguel Pereira e Paty do Alferes, no centro-sul do estado.

Publicidade

A Iguá foi a vencedora do bloco 2 no leilão da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae), realizado em 30 de abril de 2021, com outorga de R$ 7,2 bilhões, ágio de 129,68%. Com o início da operação, o estado e os municípios receberão a segunda parcela da outorga, no valor aproximado de R$ 1,09 bilhão.

A solenidade aconteceu na Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) da Barra da Tijuca. A ação marca também o começo das obras de infraestrutura que beneficiarão cerca de 1,2 milhão de pessoas nessas regiões.

Durante o evento, o CEO da Iguá, Carlos Brandão, anunciou investimentos iniciais no Complexo Lagunar de Jacarepaguá da ordem de R$ 681 milhões, dos quais R$ 250 milhões serão aplicados na dragagem e limpeza, R$ 126 milhões na implantação de Estações Elevatórias de Tempo Seco e R$ 305 milhões nos sistemas de água e esgoto em áreas irregulares não urbanizadas.

A Iguá vai apoiar ainda o programa Cidade Integrada, lançado recentemente pelo governador Cláudio Castro, prevendo melhorias na comunidade da Muzema. O pacote de medidas começará ainda este mês.

Publicidade

O secretário de Estado da Casa Civil, Nicola Miccione, destacou que a Iguá assume hoje não só os serviços, mas também o compromisso de atingir as metas e levar saneamento para a população.

“Esse é um projeto que vai além do saneamento, que vai levar também mais qualidade de vida, mais saúde, mais empregos, valorização imobiliária, desenvolvimento e dignidade para os cidadãos”, assegurou Miccione.

Os investimentos da Iguá no estado atingem cerca de R$ 2,7 bilhões. Em Miguel Pereira e Paty do Alferes, será realizado o ciclo completo do saneamento básico, com captação, tratamento e distribuição de água tratada, assim como os serviços de esgotamento sanitário.

Publicidade

Na capital, a captação e o tratamento da água, produzida na Estação de Tratamento de Água do Guandu, continuará sob responsabilidade da Cedae.

Além das cidades de Miguel Pereira e Paty do Alferes, fazem parte da área de atuação da empresa as regiões da Barra da Tijuca, Camorim, Cidade de Deus, Curicica, Freguesia (Jacarepaguá), Gardênia Azul, Anil, Grumari, Itanhangá, Jacarepaguá, Joá, Pechincha, Recreio dos Bandeirantes, Tanque, Taquara, Praça Seca (parcial), Vargem Grande, Vargem Pequena e imediações.

Matéria ampliada às 15h58 para inclusão do quarto parágrafo

Publicidade

(Agência Brasil)