Caso Yoki

Justiça concede liberdade condicional a Elize Matsunaga

O recurso da defesa foi aceito e concedido pelo Departamento Estadual de Execução Criminal da 9ª Região Administrativa Judiciária, o Deecrim de São José dos Campos.

Justiça concede liberdade condicional a Elize Matsunaga
O caso ganhou notoriedade pois a vítima era herdeira da conhecida alimentícia Yoki (Crédito: Gustavo Caballero/Getty Images for UNITAS)

A Justiça concedeu liberdade condicional a Elize Matsunaga, que estava presa na penitenciária feminina Santa Maria Eufrásia Pelletier, em Tremembé (SP). Elize foi presa por matar seu marido, Marcos Matsunaga, em 2012. A defesa de Elize confirmou a informação, como descrito na reportagem feita pelo site de notícias g1. Seu advogado, Luciano de Freitas Santoro, pediu para que sua cliente cumprisse o restante de sua pena em liberdade.

Publicidade

O recurso da defesa foi aceito e concedido pelo Departamento Estadual de Execução Criminal da 9ª Região Administrativa Judiciária, o Deecrim de São José dos Campos. A partir de agora, Elize precisará cumprir algumas regras para que consiga cumprir sua pena em liberdade. Periodicamente deverá informar à Justiça a sua ocupação e seu endereço.

Inicialmente, a condenação foi de 19 anos e 11 meses de regime fechado, mas em 2016 o Superior Tribunal de Justiça (STJ) reduziu a pena para 16 anos e três meses. A previsão inicial, com a atualização da pena, era que Elize apenas deixasse a prisão em 2028.

Durante o período em que ficou presa, Elize trabalhou no regime semiaberto para diminuir a pena. Desenvolveu seu trabalho no ramo da costura, ganhando salário e o direito de ter saídas temporárias. Em 2019, Elize formalizou a abertura de uma empresa de roupas para pets.