Novas Apurações

Justiça determina que inquérito sobre morte de Marcelo Arruda volte à Polícia Civil

Após pedidos do Ministério Público do Paraná (MP-PR) e da família de Marcelo Arruda, o juiz determinou que novas diligências são necessárias para a apuração do caso.

Perícia conclui que Jorge Guaranho atirou 3 vezes contra tesoureiro do PT, que revidou com 13 disparos
Marcelo Arruda foi morto por três tiros do policial Jorge José Guaranho (Crédito: Reprodução/Instagram)

O juiz da 3ª Vara Criminal de Foz do Iguaçu, Gustavo Germano Francisco Arguello, determinou que o inquérito que investiga a morte de Marcelo Arruda, tesoureiro do PT morto pelo policial penal federal Jorge Guaranho, volte para a Polícia Civil.

Publicidade

O inquérito já havia sido concluído pela polícia, e Guaranho foi indiciado por homicídio qualificado por motivo torpe. Mas, após pedidos do Ministério Público do Paraná (MP-PR) e da família de Marcelo Arruda, o juiz determinou que novas diligências são necessárias para a apuração do caso.

O promotor Tiago Lisboa, responsável pelo caso, pediu à Justiça que busque imagens de câmeras de segurança próximas ao local, para que o trajeto feito pelo policial Jorge Guaranho seja registrado. Segundo o promotor:

“Razoável seja diligenciado junto ao comércio, residências e vias públicas em que teria transitado o agressor, quando sai da ASSEMIB [Associação dos Empregados da Itaipu Binacional Brasil] em direção à ARESF [Associação Recreativa Esportiva Segurança Física de Itaipu] na data do fatídico evento, dirige-se à sua residência e posteriormente retorna à ARESF, para obtenção, com a urgência que a diligência requer, de câmeras de filmagem que possam ter capturado imagens do mesmo, a fim de traçar, com precisão, o percurso realizado pelo agressor.”

O Ministério Público do Paraná marcou uma coletiva de imprensa para esta quarta-feira (20), onde mais detalhes sobre o processo serão divulgados.

Publicidade

O crime aconteceu na noite do dia 9 de julho, sábado, quando Marcelo Arruda, de 50 anos, foi morto a tiros durante sua festa de aniversário, que tinha como tema o Partido dos Trabalhadores (PT) e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).