Operação Acesso Pago

Justiça nega pedido da defesa e Milton Ribeiro será transferido para Brasília

Ribeiro tem uma audiência de custódia marcada para quinta-feira (23), às 14h, na Superintendência da Polícia Federal (PF) no Distrito Federal.

Justiça nega pedido da defesa e Milton Ribeiro será transferido para Brasília
A investigação apura tráfico de influência e corrupção dentro do MEC (Crédito: Fabio Rodrigues-Pozzebom/ Agência Brasil)

A Justiça Federal negou um pedido feito pela de defesa do ex-ministro da Educação Milton Ribeiro, e manteve a decisão de transferi-lo para Brasília. Milton foi preso preventivamente na manhã desta quarta-feira (22) em Santos, São Paulo.

Publicidade

Ribeiro tem uma audiência de custódia marcada para quinta-feira (23), às 14h, na Superintendência da Polícia Federal (PF) no Distrito Federal. A sua defesa havia pedido para a Justiça Federal que essa audiência acontecesse de forma virtual, por meio de videoconferência, pois Milton se encontra em São Paulo.

Nesta reunião, um juiz apurará se o pedido de prisão é legítimo, se houve algum excesso cometido nesse processo ou se houve alguma violação de direitos. A audiência de custódia deve, obrigatoriamente, ser feita em até 24h depois da prisão.

O mandado de prisão preventiva foi expedido com base no processo sobre a atuação de pastores no Ministério da Educação (MEC). A operação da PF também cumpre mandados de busca e apreensão contra os pastores Arilton Moura e Gilmar Santos. Gilmar também está preso no momento.

A defesa de Milton, representada pelo advogado Daniel Bialski, afirma que a prisão é “injusta, desmotivada e indiscutivelmente desnecessária”.

Publicidade

Publicidade