Eleições 2022

Mourão lidera disputa para o Senado no RS, diz pesquisa

Atrás do vice-presidente estão Manuela D’Ávila (PCdoB) e Ana Lemos (PSD).

mourao-lidera-disputa-para-o-senado-no-rs-diz-pesquisa
O vice-presidente da República, Hamilton Mourão (Crédito: Will Shutter/Câmara dos Deputados)

O vice-presidente Hamilton Mourão (Republicanos) lidera a disputa para o Senado Federal no Rio Grande do Sul. Os dados são do instituto Paraná Pesquisa, divulgados nesta segunda-feira (23). Foram sugeridos três cenários para os eleitores entrevistados, Mourão aparece em primeiro lugar em todos. Em seguida, vem a candidata do PCdoB, Manuela D’Ávila e logo em seguida a ex-senadora Ana Amélia Lemos (PSD).

Publicidade

No cenário 1, Mourão tem 22,7% das intenções de voto. Manuela tem 20,5% e Ana Amélia, 20,4%. Os candidatos Lasier Martins (Podemos), atual senador, Nelson Marchezan (PSDB) e Comandante Nádia (MDB) também aparecem nesta simulação. Contam respectivamente com 7,5%, 3,3% e 2,7%. Eleitores que não sabem/responderam somam 8,4% e nenhum/branco/nulo, 14,4%.

Presente no cenário 2, o ex-governador Eduardo Leite (PSDB) aparece em 4º lugar, com 14,9%. À frente estão Mourão (22,7%), D’Ávila (20,5%) e Ana Amélia (20,4%). Depois, Lasier (6,6%) e Comandante Nádia (2,5%). Não sabem 7,1% e branco/nulo, 10,6%.

Já no último cenário, o vice-presidente tem a maior porcentagem eleitoral: 22,3%. Manuela d’Ávila permanece em 2º lugar com 20,1%. Ana Amélia tem 19,7%, diferença de 0,4% contra a candidata do PCdoB. Inclusos, Lasier aparece com 7,7%, seguido poelo candidato do PDT, Ronildo Bolzan (5,1%), e Comandante Nádia (2,8%).

O instituto Paraná Pesquisas entrevistou 1540 eleitores de 65 municípios do Estado do Rio Grande do Sul. A pesquisa foi realizada de 15 a 20 de maio, a margem estimada de erro é de cerca 2,5%.

Publicidade

Mourão: “Relação Brasil-China sempre foi de alto nível”

Brasil e China realizaram virtualmente, nesta segunda-feira (23), a 6ª sessão plenária da Comissão Sino-brasileira de Alto Nível de Concertação e Cooperação (Cosban). Instituída em 2004, a Cosban é o principal mecanismo de coordenação da relação bilateral entre o Brasil e a China e é comandada pelos vice-presidentes dos dois países.

Publicidade

Depois da reunião, Hamilton Mourão, vice-presidente, concedeu uma entrevista coletiva. Questionado sobre as consequências das declarações de autoridades brasileiras sobre a China durante a pandemia, Mourão destacou que “houve alguns ruídos”, mas que relação foi sempre mantida em “alto nível.”

Sobre novos encontros entre os países, Mourão relembrou que o presidente Jair Bolsonaro (PL) deve se encontrar com o líder chinês, Xi Jinping, em junho, na reunião dos BRICS.

 

Publicidade