Ônibus da Transoeste param de circular após motoristas entrarem em greve em BH

O motivo da paralisação desses trabalhadores é a falta do pagamento de salário, além de outros benefícios

Ônibus da Transoeste param de circular após motoristas entrarem em greve em BH
Até as 8h, nenhum ônibus coletivo da Transoeste, localizado no bairro Independência, no Barreiro, havia deixado a garagem (Créditos: Alexandre Schneider/Getty Images)

Em Belo Horizonte MG, funcionários da empresa Transoeste entraram em greve nesta segunda-feira (24), e inúmeras linhas de ônibus do transporte público deixaram de circular na cidade. Essa paralisação afeta mais os passageiros da Região do Barreiro.

Publicidade

Até as 8h, nenhum ônibus coletivo da Transoeste, localizado no bairro Independência, no Barreiro, havia deixado a garagem. O motivo da paralisação desses trabalhadores é a falta do pagamento de salário, além de outros benefícios. Foram colocados diversos avisos sobre a suspensão da operação, na Estação Diamante.

De acordo com a Empresa de Transporte e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans), perto das 8h30, das 26 linhas operadas pela Transoeste, 23 estavam paradas. Destas, 13 partem da Estação Barreiro, e oito, da Estação Diamante. Outras duas partem de outros locais. Os passageiros que chegam até as estações, estão sendo orientados pelas equipes da BHTrans.

A empresa Viação Transoeste, no dia (13) de janeiro, também deixou de circular 88 ônibus. Segundo a empresa, eles encontraram dificuldades financeiras causadas pelo aumento do preço do litro do óleo diesel e pela redução de passageiros.

Segundo informações do G1, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte (Setra-BH) disse em nota que, foi informado pela Viação Transoeste que a suspensão das operações aconteceu por anúncio de greve dos empregados.

Publicidade

“A ‘greve’, segundo informado pela associada Viação Transoeste, teve como motivo o atraso no pagamento de salários e benefícios sociais, como vale-alimentação, seguro saúde e seguro de vida. Tal situação, ainda segundo a Viação Transoeste, se deve ao exaurimento dos seus meios financeiros”, afirmou a entidade.

De acordo ainda com Setra-BH, estão em contato direto com Consórcio Dez, do qual a Transoeste faz parte, “para tentar minimizar os impactos para a população”.