Terra Indígena Yanomami

Operação Guardiões do Bioma apreende 23,9 toneladas de minério

Ação contra o garimpo ilegal em Terra Indígena Yanomami durou um mês e resultou na prisão de 25 pessoas, apreensão de aeronaves e munições e em 115 autos de infração. 

Operação Guardiões do Bioma apreende 23,9 toneladas de minério
(Crédito: Canva Fotos)

O Ministério da Justiça e Segurança Pública divulgou nesta terça-feira (09) balanço da Operação Guardiões do Bioma – Terras Indígenas. Ao todo, foram apreendidos 23,9 toneladas de minérios (cassiterita, ouro e mercúrio), 36 aeronaves

Publicidade

Ação contra o garimpo ilegal em Terra Indígena Yanomami durou um mês e resultou na prisão de 25 pessoas, apreensão de aeronaves e munições e em 115 autos de infração.

Segundo a pasta, a operação de combate ao garimpo ilegal e ilícitos ambientais, em Roraima, contou com a participação de 12 instituições federais. Também foram feitos 712 atendimentos de saúde à população indígena.

A operação contou ainda com a fiscalização de aeródromos, pistas de pouso, aeroportos, pontos de abastecimento e aeronaves; bloqueios fluvial e rodoviário; monitoramento de terras; destruição de motores, geradores e esteiras, além de medidas administrativas. Por falta de autorização, três tanques com capacidade para 15 mil litros (vazios) foram interditados e sete pessoas tiveram a habilitação para voar suspensas.

O Ministério da Justiça e Segurança Pública enfatizou que o monitoramento do garimpo ilegal e de ilícitos ambientais na região é permanente. Uma vez identificadas as ações criminosas, a pasta reúne diversas instituições federais para compor a Operação Guardiões do Bioma para que atuem dentro de suas atribuições, sufocando a logística das organizações criminosas. Na operação realizada em 2021, 90 aeronaves foram apreendidas e 22, destruídas.

Publicidade

A operação contou com atuação integrada da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), do Exército Brasileiro, da Força Aérea Brasileira, da Força Nacional de Segurança Pública, da Fundação Nacional do Índio (Funai), do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), da Polícia Federal, da Polícia Rodoviária Federal e da Secretaria Especial de Saúde Indígena.