Racismo

PSOL entra na Justiça por fala racista de Bolsonaro

A notícia-crime foi destinada ao presidente do STF, o ministro Luiz Fux.

Psol entra na Justiça por fala racista de Bolsonaro
Jair Bolsonaro protagoniza outro episódio que pode ser entendido como crime (Crédito: Jefferson Rudy/Agência Senado)

Nesta sexta-feira (13), a bancada do PSOL, na Câmara dos Deputados, entrou com um pedido de apuração no Supremo Tribunal Federal (STF) para analisar uma fala considerada racista feita pelo presidente Jair Bolsonaro (PP).

Publicidade

A notícia-crime foi destinada ao presidente do STF, ministro Luiz Fux, e pede a investigação do caso que aconteceu ontem, quinta-feira (12), quando Bolsonaro disse que seu apoiador pesava “mais de 7 arrobas”.

Publicidade

Não é a primeira vez que isso acontece. Outra fala racista aconteceu no dia 3 de abril de 2017 no Rio de Janeiro. Durante uma palestra, Bolsonaro declarou que foi visitar uma comunidade quilombola e que o “afrodescendente mais leve de lá pesava 7 arrobas”. Confira um trecho do ano de 2017:

“Isso aqui é só reserva indígena, está faltando quilombolas, que é outra brincadeira. Eu fui em um quilombola [sic] em Eldorado. Olha, o afrodescendente mais leve de lá pesava 7 arrobas. Não fazem nada! Eu acho que nem pra procriador eles servem mais. Mais de R$ 1 bilhão por ano eu gasto com eles”.

Na época, o caso foi parar no STF e a denúncia foi rejeitada por 3 votos a 2. Apesar disso, em seu voto, o ministro do STF, Luís Roberto Barroso, disse que não poderia “passar uma mensagem errada à sociedade”:

Publicidade

“‘Arrobas’ e ‘procriador’ são termos utilizados para se referir a animais irracionais, a bichos e, portanto, eu penso que equiparar pessoas negras a bichos, em tese, para fins de recebimento de denúncia, seja um elemento plausível de violação do artigo 20 da lei de crime racial.”