latrocínios

Tarcísio: “A gente quer a população mais segura”

Tarcísio ainda afirmou que a Secretaria de Segurança Pública reforçará o patrulhamento no entorno da área, para dar “tranquilidade à população e coibir a criminalidade”

Em uma entrevista durante a inauguração de um Batalhão da Polícia Militar, o governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas, comentou o ataque sofrido por dois holandeses na rua 25 de março, no centro da capital.
O governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos). (Crédito: Rafa Neddermeyer/Agência Brasil)

Em uma entrevista durante a inauguração de um Batalhão da Polícia Militar, o governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas, comentou o ataque sofrido por dois holandeses na rua 25 de março, no centro da capital.

Publicidade

“A gente quer atuar muito nas áreas que são icônicas, importantes, né. A gente quer a população mais segura”, declarou o governador. “Obviamente a 25 de Março está dentro do contexto de ações que a gente vai fazer no Centro como um todo”, completou.

Similarmente, Tarcísio ainda afirmou que a Secretaria de Segurança Pública reforçará o patrulhamento no entorno da área, para dar “tranquilidade à população e coibir a criminalidade”.

“Gangue da correntinha”

Câmeras revelaram que, no dia 13 de janeiro, um grupo de pelo menos cinco criminosos, conhecido como “gangue da correntinha”, abordou dois holandeses após avistar correntes em seus pescoços. Ao reagirem à tentativa de assalto, eles sofreram agressões, como chutes e socos. Uma das vítimas, Hessel Hoekstra, não resistiu às feridas e morreu 14 dias depois, no Hospital Nove de Julho. Seu amigo voltou em seguida para seu país e deve depor às autoridades ainda nesta quinta-feira (2).

Publicidade

Após análise das imagens, a Polícia Civil identificou três dos cinco indivíduos e deve solicitar ao sobrevivente para reconhecê-los. Conforme o veredito do holandês, os agentes emitirão um mandado de prisão temporária.

De acordo com Guilherme Derrite, secretário da SSP, “três autores foram identificados, qualificados, e aí eu peço muita colaboração de vocês, vocês têm feito isso na nossa gestão, de que os outros poderes, e nós temos a colaboração do Tribunal de Justiça de São Paulo [TJ-SP], que fique claro, muita colaboração, vários acordos de cooperação”.

“Faltava ainda alguns detalhes para a autoridade policial. O delegado fazia o pedido de prisão temporária e certamente nós não mediremos esforços para encontrá-los e colocá-los à disposição da Justiça”, completou.

Publicidade

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber grátis o Menu Executivo Perfil Brasil, com todo conteúdo, análises e a cobertura mais completa.

Grátis em sua caixa de entrada. Pode cancelar quando quiser.