Trecho interditado na Marginal Tietê deve ser liberado até 31 de março

A informação veio pelo prefeito Ricardo Nunes (MDB), que esteve no local nesta manhã

Trecho interditado na da Marginal Tietê deve ser liberado até 31 de março
A pista local é a única que ainda continua interditada para o fluxo de trânsito, próximo ao acidente (Créditos: Governo do Estado de São Paulo)

A prefeitura de São Paulo, disse nesta sexta-feira (4), que o trecho interditado na Marginal Tietê, devido a cratera que se formou durante a obra do Metrô da Linha 6-Laranja, na terça-feira (1), disse que espera liberar a pista local até dia 31 de março. A informação veio pelo prefeito Ricardo Nunes (MDB), que esteve no local nesta manhã.

Publicidade

“Não tem uma previsão concreta da liberação da via local. Existe uma possibilidade de que até o dia 31 de março possa ser feita a liberação”, disse Nunes. “Podendo ter alteração de data em decorrência da estabilidade do solo e do andamento das obras.”

A pista local é a única que ainda continua interditada para o fluxo de trânsito, próximo ao acidente. O bloqueio acontece na Marginal Tietê no sentido da rodovia Ayrton Senna, em um trecho entre as pontes do Piqueri e da Freguesia do Ó. Na tarde desta quinta-feira (3) os veículos puderam voltar a transitar pela pista central.

Rodízio volta

O rodízio que tinha sido suspenso até a data de hoje (4) devido ao acidente, voltará a valer a partir de segunda-feira (7), quando uma via alternativa estará liberada preparada pela prefeitura para suprir a demanda da pista local da Marginal no tempo que ela ficar indisponível.

O desvio seguirá o seguinte trajeto:

Da pista local, os veículos acessam a rua Cenno Sbrighi

Publicidade

Da Cenno Sbrighi, entram, à esquerda, na rua Aquinos

Seguem reto na rua Aquinos e passam por um trecho novo, feito dentro da área de três imóveis

Após esse trecho, os veículos podem acessar a marginal Tietê (pela avenida embaixador Macedo Soares) ou a rua Visconde de Nanique. De acordo com o prefeito, essa alternativa visa atender as cinco linhas de transporte coletivo que costumavam trafegar pela pista local e os motociclistas, que têm restrições de circulação na Marginal.

Publicidade

“Essa via não terá restrição, será de sentido único”, disse Nunes. A CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) diz que a pista da via alternativa terá dez metros de largura, e “receberá todos os veículos e motos que trafegam pela pista local usualmente”.

Quem arcou pelo custo da via foi a Acciona, empresa responsável pela obra do metrô; o valor não foi divulgado. Segundo a CET, a obra deu início na noite de quinta-feira (3). Nunes disse ainda que não tem uma definição se essa alternativa se tornará permanente após o retorno da pista local. A princípio, ela só irá ficar disponível enquanto o bloqueio estiver na pista local.