No Bolso

YouTube suspende receita de canais da “Jovem Pan” por desinformação

A plataforma de vídeos acusa a Jovem Pan de violar uma série de diretrizes da empresa.

YouTube suspende monetização de canais da “Jovem Pan”
Caso a Jovem Pan não apresente contestação, a desmonetização pode ser permanente (Crédito: Sean Gallup/Getty Images)

O YouTube anunciou nesta quarta-feira (23) a suspensão da monetização de canais do grupo de comunicação Jovem Pan. Segundo a plataforma de vídeos, os canais violaram uma série de diretrizes da empresa.

Publicidade

Uma nota enviada pelo YouTube ao site Poder360 cita o programa “Pingos nos I’s” como o responsável pelo corte na monetização da Jovem Pan, por violar as políticas contra a divulgação de desinformação durante as eleições de outubro.

No dia primeiro de novembro o YouTube já havia anunciado que apagaria publicações e conteúdos que contestassem o resultado do pleito no Brasil. Além da desinformação, o YouTube acusa a Jovem Pan de infringir diretrizes de publicidade, de assuntos que envolvem questões polêmicas e sensíveis e de compartilhar “atos perigosos e nocivos”.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) também investiga o grupo de comunicação por um suposto tratamento privilegiado dado à candidatura do presidente Jair Bolsonaro (PL) na cobertura das eleições. Este processo foi aberto pela campanha do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Nas últimas semanas, alguns dos comentaristas do programa “Pingos nos I’s” foram demitidos pela Jovem Pan. Entre eles estão Augusto Nunes, Caio Coppolla, Guilherme Fiuza e Guga Noblat. A apresentadora Carla Cecato e o repórter Maicon Mendes também foram dispensados.

Publicidade

Publicidade

 

 

Publicidade