MAIS DE 30 MORTES

Governo russo nega ataque a hospital de Kiev

Ataque é um dos piores desde o início da guerra, segundo prefeito da capital ucraniana

hospital-ataque
Hospital pedriático em Kiev sobre ataque violento – Crédito: Reprodução

Em declaração divulgada nesta segunda-feira (8), o Ministério de Defesa da Rússia negou ataque a hospital de Kiev, na Ucrânia. Dessa forma, em comunicado, o governo disse que o ataque em cidades da Ucrânia foram em resposta às tentativas de Kiev de “danificar objetos do poder russo”.

Publicidade

A equipe de Vladimir Putin disse que os mísseis tenham atingido o hospital infantil de Okhmatdyt eram ucranianos. Por fim, em comunicado, afirma que a Ucrânia quer causar ‘histeria’ diante dos fatos.

  “As fotos e vídeos que foram divulgadas por Kiev confirmam que a destruição foi causada por um míssil ucraniano lançado por um sistema de defesa”, diz o texto.

Ataque a hospital

O hospital pediátrico atingido é o maior de Kiev. Mais de 30 pessoas morreram no ataque. Imagens do local divulgadas nas redes sociais  mostram que uma das fachadas veio totalmente abaixo. Inicialmente, autoridades disseram que há crianças entre os mortos.

Assim, o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, afirmou que várias pessoas ainda estão presas sob os escombros. No entanto, disse, ainda, nas redes sociais, que Moscou precisa se responsabilizar pelos seus atos. “A Rússia não pode alegar ignorância sobre para onde voam seus mísseis e deve ser totalmente responsabilizada por todos seus crimes. Contra as pessoas, contra as crianças, contra a humanidade em geral”, escreveu.

Publicidade

Okhmatdyt Children’s Hospital in Kyiv. One of the most important CHILDREN’S hospitals not only in Ukraine, but also in Europe. Okhmatdyt has been saving and restoring the health of thousands of children.

Contudo, o ataque não foi um ato isolado: A Rússia é, segundo ucranianos, responsável por ataques em outras cidades do centro e do leste do país, como Dnipro, Sloviansk, Kramatorsk e a cidade-natal  de Zelensky,  Kryvyi Rih, no centro do país. Segundo o prefeito local, outras 30 pessoas também ficaram feridas.

Publicidade
Siga a gente no Google Notícias

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber grátis o Menu Executivo Perfil Brasil, com todo conteúdo, análises e a cobertura mais completa.

Grátis em sua caixa de entrada. Pode cancelar quando quiser.