Segunda rodada de negociações entre Rússia e Ucrânia está prevista para esta quinta

O Kremlin afirmou que está aberto a negociações

segunda-rodada-de-negociacoes-entre-russia-e-ucrania-esta-prevista-para-esta-quinta
Manifestantes vestidos como o presidente russo Vladimir Putin (E), EUA O presidente Joe Biden (C) e o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky participam de uma pequena manifestação para exigir uma solução diplomática para a atual ameaça de guerra na Ucrânia em 09 de fevereiro de 2022 em Berlim, Alemanha. (Crédito: Sean Gallup/Getty Images)

As comitivas de Rússia e Ucrânia se preparam para iniciar uma nova rodada de negociações sobre o conflito nesta quinta-feira (3). A informação foi confirmada por agências de notícias russas citadas pelo site UOL Notícias. A delegação russa já está em Belovezhskaya Pushcha, cidade de Belarus, perto da fronteira da Polônia, onde devem acontecer as conversas.

Publicidade

Os dois times devem ter os mesmos representantes da primeira rodada, que terminou sem acordo, na segunda-feira (28), em Gomel, cidade de Belarus, na fronteira com a Ucrânia.

O secretário de imprensa russo, Dmitry Peskov, afirmou que o Kremlin está aberto a negociar. Os temas que serão discutidos não foram detalhados, mas a Ucrânia pede o fim dos ataques no país e a saída imediata das tropas.

Enquanto isso, os bombardeios continuam na Ucrânia. Uma estação de trem em Kiev foi atingida nesta quarta-feira (2) por um míssil russo interceptado, segundo informações da CNN Brasil. Ainda não se sabe exatamente qual era o alvo dos russos. Um importante gasoduto da capital também foi atingido no ataque.

A cidade de Kharkiv também sofreu ataques aéreos e teve o departamento de polícia destruído.

Publicidade

Guerra da Ucrânia completa uma semana

Há uma semana, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, ordenou a invasão da Ucrânia. Tropas russas avançam pelo sul, leste e norte do território ucraniano. O exército russo tem bombardeado diariamente Kiev e Kharkiv, duas principais cidades do país.

Um dos fatores que desencadeou o conflito foi a possibilidade da Ucrânia entrar na OTAN, aliança militar do Ocidente. Putin não admite a possibilidade e exige que a Ucrânia se comprometa a nunca entrar na organização.

O presidente russo também alega que a Ucrânia está sob influência estrangeira e que não merece ser um país independente. O exército ucraniano conta com a ajuda de voluntários para conter as tropas russas.

Publicidade