Desemprego

Levantamento aponta recorde de pedidos de demissão em 12 meses

O número é equivalente a 33% do total, sendo esse 18,694 milhões, de desligamentos de trabalhadores no período analisado.

levantamento-aponta-recorde-de-pedidos-de-demissao-em-12-meses
Em relação a maio de 2021 (4,132 milhões), houve aumento de 50% (Créditos: Pixabay)

O Brasil registrou 6,175 milhões de pedidos de demissão nos últimos 12 meses, até maio. Em meio ao desemprego em alta e à dificuldade de trabalhadores de retorno ao mercado de trabalho, os dados apontam um recorde.

Publicidade

O número é equivalente a 33% do total, sendo esse 18,694 milhões, de desligamentos de trabalhadores no período analisado. A cada 3 desligamentos, 1 dos pedidos de demissão é feito pelo próprio trabalhador. O levantamento foi feito pela LCA Consultores e leva em conta os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), que contabiliza as vagas com carteira assinada.

O recorde registrado considera o período a partir de janeiro de 2020, início da série histórica do Caged, com a metodologia atual de contagem de vagas. Em relação a maio de 2021 (4,132 milhões), houve aumento de 50% no número de demissões dentro do acumulado de 12 meses.

De acordo com Bruno Imaizumi, responsável pela pesquisa, os números mostram um movimento de continuidade de normalização do mercado de trabalho. Ele diz que muitas empresas estão voltando ao trabalho presencial e, com isso, trabalhadores que acreditam que essa modalidade não é benéfica em termos de qualidade de vida desistem da vaga.

“Isso acontece para empregos específicos, mais voltados para o setor de serviços em que seja possível trabalhar de casa”, ressalta. Além disso, o economista aponta que no início da pandemia muitos aceitaram empregos sem necessariamente ter afinidade com suas formações. Logo, muitos pedem demissão para serem admitidos dentro de cargos mais adequados a suas qualificações.

Publicidade

Publicidade