Mercado de Trabalho

Brasil tem recorde de pedidos de demissões no mês de março

Números de desligamentos voluntários vêm aumentando desde 2018.

Brasil tem recorde de pedidos de demissões no mês de março
Brasil vive um período de alta inflação, o que está diretamente relacionado à taxa de desemprego e ao consumo do trabalhador brasileiro (Crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O Brasil bateu o recorde de pedidos de demissão no mês de março, é o que aponta um levantamento da LCA Consultores com base em relatórios do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados). Em 2022, 603 mil pessoas se demitiram voluntariamente, em 2021 o número foi de 437 mil no mesmo período.

Publicidade

Nas áreas de alimentação e de atividades administrativas registraram-se os maiores números de pedidos de demissão, enquanto em instituições internacionais e em instituições de energia (eletricidade e gás) os números foram bem menores.

Os números de pedidos de demissão vêm crescendo desde 2018, mas teve um amento fora da média neste ano de 2022, e a pandemia tem um caráter decisivo nisso. Segundo a LCA Consultores, a preferência por regimes de trabalhos presenciais, híbridos ou em home office, influencia no aumento dos pedidos de demissão.

Em fevereiro, segundo dados do IBGE, o Brasil tinha uma taxa de 11,1% da sua população desempregada, cerca de 12 milhões de pessoas, número baixo se comparado ao período anterior. A expectativa, segundo especialistas, é que essa taxa flutue entre 11% e 14% em 2022.

Publicidade