ESTADOS UNIDOS

Suspeito do assassinato do rapper Tupac aparece pela primeira vez em Tribunal

Duane “Keffe D” Davis,  de 60 anos, estava algemado e chegou ao Centro de Justiça Regional em Las Vegas vestindo um uniforme de prisão azul escuro e chinelos de plástico laranja

(Crédito: Getty Images)

O homem acusado de ser o mentor da morte a tiros do lendário rapper Tupac Shakur em Las Vegas em 1996 fez sua primeira aparição no tribunal sob acusação de assassinato.

Publicidade

Duane “Keffe D” Davis,  de 60 anos, estava algemado e chegou ao Centro de Justiça Regional em Las Vegas vestindo um uniforme de prisão azul escuro e chinelos de plástico laranja.

Publicidade

Qual a motivação do crime?

Segundo a rede de notícias Al Jazeera, em maio de 1996, Orlando “Baby Lane” Anderson, sobrinho de Duane Keith Davis, teria agredido Travon “Tray” Lane, da gravadora de Tupac, a Death Row Records.

Alguns meses depois, Tupac teria instigado um ataque a ‘Baby Lane’ quando os dois estavam em uma luta de boxe em um cassino de Las Vegas. Ao deixar o hotel em que estava, Tupac foi alvejado por tiros que partiram de um Cadillac branco que parou ao lado do seu carro. Tupac foi atingido em quatro partes do corpo, uma delas, o pulmão. O rapper morreu sete dias depois do ataque e a causa da morte foi insuficiência respiratória e parada cardíaca, causada pela remoção do pulmão. Duane seria o mentor do assassinato de Tupac.

O que aconteceu após a morte de Tupac?

Dois meses após o crime, Yaki Kadafi,  que estava no carro com Tupac, foi assassinado em Nova Jersey, quando decidiu prestar depoimento à polícia. ‘Baby Lane’ Anderson foi preso uma semana depois, mas foi solto e nunca foi acusado pela morte de Tupac.

Publicidade

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber grátis o Menu Executivo Perfil Brasil, com todo conteúdo, análises e a cobertura mais completa.

Grátis em sua caixa de entrada. Pode cancelar quando quiser.