Novas vítimas da guerra.

Ataque russo matou brasileiros voluntários pela Ucrânia

Douglas Búrigo e Thalita do Valle pertenciam ao mesmo pelotão que André Bahi, primeiro brasileiro morto na guerra.

Shopping de Kharkiv destruído após bombardeio russo. Soldados ucranianos investigam o cenário
Chris McGrath/Getty Images

No último sábado (2), um ataque russo matou brasileiros que lutavam pela Ucrânia. O ataque aconteceu na cidade de Kharkiv, cidade disputada desde o início do conflito com a Rússia. Douglas Búrigo e Thalita do Valle foram vítimas de um ataque à míssil russo, quando Douglas retornava ao alojamento atingido tentando resgatar Thalita.

Publicidade

Douglas havia viajado em direção ao país em guerra no dia 24 de maio, avisando a família que iria fazer trabalho voluntário, enquanto na verdade foi mandado para treinamento em Kiev. Já Thalita era experiente na participação em conflitos, tendo servido voluntariamente antes na guerra contra o Estado Islâmico do Iraque, servindo como atiradora de elite pelo exército separatista do Curdistão.

A brasileira ainda era socorrista, tendo atuado nos resgates da tragédia de Brumadinho. Douglas, por sua vez, tinha experiência militar apenas com seus 5 anos servidos no exército brasileiro. Antes de ir para a Ucrânia, Douglas era dono de uma borracharia na serra gaúcha.

O último contato que a família de Thalita teve com a brasileira foi no dia 27 de junho, quando ela avisou que havia sido deslocada para Kharkiv. Douglas postava atualizações de sua jornada pelo conflito com frequência no Instagram, sendo a última postagem realizada no dia 11 de junho. O último vídeo postado por ele consistia numa dublagem de Douglas sobre uma foto sua uniformizado e armado em que ele dizia “Eu tô numa fase da minha vida que eu quero aproveitar cada momento. Cada milésimo de segundo do meu tempo. Eu quero ter mais histórias para contar do que ter coisas para mostrar.”

Publicidade

Segundo a família de Douglas, militares do pelotão em que ele e Thalita serviam contaram que ele havia escapado do alojamento, mas retornou para resgatar a companheira, foi neste momento em que o ataque russo matou os brasileiros. Após ser comunicada do ataque, a mãe de Douglas escreveu uma homenagem e despedida para o filho: “Teu pai está aqui sofrendo muito, chorando muito, tentando entender por que tu quis ir. Tua irmã Denise chora a todo instante e o Pedrinho pede para ela parar de chorar. A Deborah está em choque, quieta, não conversa, se fechou. Tua filha estava em desespero no telefone. Enfim filho estamos todos arrasados com a noticia da tua partida. E a dor aumenta mais pois não haverá nem uma última despedida. Eu te amo meu filho. Nós te amamos.

Desde a morte de André Bahi, em junho, o Itamarati “continua a desaconselhar enfaticamente deslocamentos de brasileiros à Ucrânia, enquanto não houver condições de segurança suficientes no país.

Publicidade