Brasileiros distribuem alimentos para refugiados que chegam a Alemanha

O grupo já distribuiu mais de 3 mil marmitas

governo-libera-r$-1,7-mi-para-cidades-atingidas-por-desastres-naturais
(Crédito: Prefeitura de Novo Tiradentes)

Brasileiros que moram na Alemanha, mais precisamente em Berlim, se uniram para produzir refeições e distribuir aos refugiados da guerra na Ucrânia, que chegam ao país.

Publicidade

O grupo formado por 150 pessoas decidiu fazer sopas e levar até a Estação Central de Berlim, por onde chegam a maior parte dos civis ucranianos. Por dia, são oferecidos de 700 a 800 pratos de sopa de lentilha.

Morando há sete anos na Alemanha, a gaúcha Daiane Kich, de 39 anos, abriu as portas do seu apartamento para que voluntários possam auxiliar no preparo dos alimentos que serão oferecidos aos refugiados. Com ajuda de outros pessoas, a brasileira organiza as doações, que chegam quatro vezes ao dia. Ao todo, o grupo já conseguiu distribuir mais de 3 mil marmitas.

Cada uma das embalagens onde é servida a sopa traz uma mensagem de acolhimento aos refugiados, que se deslocam em meio ao frio e a incerteza provocada pelo conflito entre os dois países.

“Aqui é inverno, com temperaturas abaixo dos 10°C. Essas pessoas estão viajando por dias, horas e não temos ideia de quando foi a última refeição delas”, relata.

Publicidade

“Até domingo minha casa está aberta, mas depois disso a gente parte para uma cozinha industrial. Eu e meu marido abrimos a casa para pessoas que nunca vimos na vida, e que estão dispostas a contribuir e colaborar com essa situação toda”, explica Daiane.

Publicidade