por US$ 44 bilhões

Elon Musk recua e vai comprar Twitter por US$ 44 bilhões

Acordo já tinha ido parar na justiça com pedido do Twitter para que bilionário confirmasse a compra.

A empresa norte-americana de bebidas alcooólicas Budweiser vai usar o seu patrocínio da Copa do Mundo no Catar para promover uma campanha de marketing inovadora envolvendo coleta de dados. Na expectativa de vender 1 bilhão de latinhas e garrafas de uma linha limitada de cervejas, a empresa está lançando peças de propagandas que contam com QR codes para comprar os produtos. Por sua vez, as latas e garrafas terão outro QR code que os consumidores podem ler para se inscrever em sorteios de ingressos grátis para os jogos. Com essa estratégia nova, a Budweiser está inovando o mundo do marketing com uma forma interativa e autônoma de capturar dados dos clientes para desenvolver futuras estratégias.
Musk possui 9% das ações da empresa atualmente. (Créditos: Britta Pedersen-Pool/Getty Images)

De acordo com a Bloomberg e Washington Posts, o bilionário sul-africano Elon Musk concordou em comprar o Twitter pelos U$44 bilhões propostos inicialmente. O próprio empresário e a equipe da rede social não se manifestaram.

Publicidade

Segundo fontes dos portais, Elon Musk teria mandado a decisão por meio de uma carta. Em julho, a plataforma pediu para a justiça dos EUA que obrigassem o bilionário a cumprir o acordo. No mesmo mês, Musk afirmou que houve violação no acordo e ameaçou desistir da compra.

Elon Musk hoje é dono de 9% das ações do Twitter, mas está desde abril de 2022 em negociações para comprar o restante da plataforma, tendo partido dele a proposta dos U$44 bilhões. Os conflitos entre os dois lados do acordo começaram com as exigências do bilionário para confirmar quantos os perfis fakes existem na plataforma. O Twitter afirma que esse tipo de conta representa menos de 5% dos seus usuários, mas Musk estava pedindo acesso ao dados do site para confirmar a informação.

Depois de meses neste impasse, as duas partes do acordo parecem finalmente terem chegado a um consenso. De acordo com Musk, seus planos após concluir a compra são de transformar o Twitter numa rede social que valorize a liberdade de expressão.

Publicidade