EUA impõem sanções contra filhas de Putin e bancos russos

Para justificar as sanções, os EUA afirmam que os familiares de Putin escondem sua riqueza

eua-impoem-sancoes-contra-filhas-de-putin-e-bancos-russos
O presidente da Rússia, Vladmir Putin (Crédito: Sean Gallup/Getty Images)

Os Estados Unidos anunciaram nesta quarta-feira (6) mais uma rodada de sanções contra a Rússia em resposta à invasão da Ucrânia. Entre as novas medidas, as duas filhas adultas de Vladimir Putin, Katerina e Maria, serão afetadas.

Publicidade

As sanções impedem as filhas de Putin de operarem no sistema financeiro americano e congela qualquer bem que tenham nos Estados Unidos, segundo informações divulgadas pela Casa Branca.

Katerina Tikhonovna e Maria Putina raramente são vistas em público. O pai quase nunca as menciona ao falar publicamente e o Kremlin só as identifica pelo primeiro nome. Contudo, para sustentar suas sanções, os EUA afirmam que os familiares de Putin escondem sua riqueza.

Mais sanções aos bancos russos

Juntamente com as sanções que atingem familiares de Putin, os EUA anunciaram sanções de “bloqueio total” às principais instituições financeiras públicas e privadas russas, Sberbank e Alfa Bank, e informou que todos os novos investimentos americanos na Rússia estão proibidos.

A proibição dos novos investimentos será decretada em uma ordem executiva que será assinada pelo presidente americano, Joe Biden. Também fazem parte da lista de sancionados a esposa do chanceler do país, Sergei Lavrov, além do ex-premiê Dmitry Medvedev.

Publicidade

A Casa Branca afirmou que as sanções são uma resposta às atrocidades que teriam sido cometidas por tropas russas na cidade de Bucha, perto de Kiev. Segundo o governo americano, as sanções farão com que a Rússia perca seu seu protagonismo na economia mundial.

Em seu twitter, Joe Biden afirmou que ”a Rússia pagaria um preço severo e imediato por suas atrocidades em Bucha.” O presidente norte-americano ainda declarou que as novas sanções são ”devastadoras” para a Rússia.