Homem que recebeu transplante de coração de porco morre nos EUA

David sobreviveu dois meses após o transplante

homem-que-recebeu-transplante-de-coracao-de-porco-morre-nos-eua
Transplante entrou para a história da medicina. (Crédito: Canva Fotos)

David Bennett, de 57 anos, primeiro homem a receber em um transplante um coração de porco geneticamente modificado, morreu nesta terça-feira (9). A cirurgia havia sido feita em janeiro no Centro Médico da Universidade de Maryland, em Baltimore, nos Estados Unidos.

Publicidade

“Era morrer ou fazer esse transplante. Eu quero viver. Eu sei que é um tiro no escuro, mas é minha última opção”, declarou Bennett um dia antes da operação. O paciente passou os meses anteriores ao procedimento na cama e ligado a uma máquina de suporte à vida.

Na época, a Agência de Alimentos e Medicamentos (FDA) americana concedeu uma autorização de emergência para a cirurgia na véspera de Ano Novo.

“Esta foi uma cirurgia revolucionária e nos deixa um passo mais perto de resolver a crise de escassez de órgãos”, disse Bartley Griffith, médico que transplantou o coração do porco.

O coração do porco

O porco doador pertencia a um rebanho que passou por uma técnica de modificação genética. O procedimento buscou remover um gene que poderia desencadear uma forte resposta imune de um ser humano e, assim, causar a rejeição do órgão.

A modificação foi realizada pela empresa de biotecnologia Revivicor, que também forneceu o porco usado em um transplante de rim inovador feito em um paciente com morte cerebral em Nova York, em outubro de 2021.

Publicidade