Inglaterra volta atrás e exige o uso de máscaras em ambientes fechados

Mudança faz parte de pacote de medidas anunciado por Boris Johnson para conter a variante ômicron

Inglaterra volta atrás e exige o uso de máscaras em ambientes fechados
Na última quarta-feira (8), Johnson anunciou restrições mais pesadas contra a Covid-19 no país (Crédito: Ming Yeung/ Getty Images)

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, anunciou nesta sexta-feira (10) um pacote de medidas em um esforço para frear o avanço do coronavírus no país, entre as mudanças está a volta da obrigatoriedade do uso de máscaras em ambientes fechados. 

Publicidade

Na última quarta-feira (8), Johnson anunciou restrições mais pesadas contra a Covid-19 no país. As orientações foram para que as pessoas trabalhem em casa, usem máscaras em locais públicos e apresentem passes de vacinas para retardar a propagação da variante ômicron do coronavírus.

As novas restrições, o anúncio diz que pretendem evitar um novo lockdown, acontecem no mesmo momento em que Boris Johnson enfrenta críticas negativas por uma suposta festa de natal de sua equipe no ano passado. O evento teria acontecido de maneira ilegal em meio ao momento alarmante da pandemia com duras restrições impostas pelo próprio governo.

Durante o anúncio das novas restrições, o primeiro-ministro da Inglaterra chamou as medidas, como o uso de máscaras, de um “plano B” dos britânicos para conter a variante ômicron, que se espalha rapidamente pela Europa.

A preocupação da Inglaterra é de que a economia seja afetada, pois as medidas afetarão o setor de bares, restaurantes e comércio antes do Natal e podem impor uma situação difícil ao setor financeiro do Reino Unido.

Publicidade

“Embora o quadro possa melhorar, e espero sinceramente que melhore, sabemos que a lógica… do crescimento exponencial pode levar a um grande aumento das hospitalizações e, portanto, infelizmente, das mortes”, disse Johnson em entrevista coletiva.

A partir de 10 de dezembro na Inglaterra, você deve usar uma cobertura facial na maioria dos locais públicos fechados, exceto locais de hospitalidade.

Haverá isenções em locais onde não é prático usar um, como quando você está comendo, bebendo ou se exercitando.

Publicidade