buenos aires

Manifestantes enfrentam polícia na Argentina em atos a favor de Cristina Kirchner

Pelo menos 14 policiais ficaram feridos no confronto, segundo Felipe Miguel, chefe de gabinete do governo de Buenos Aires.

manifestantes-enfrentam-policia-na-argentina-em-atos-a-favor-de-cristina-kirchner
Imagens do protesto deste sábado(27) em Buenos Aires (Créditos: Tomas Cuesta/Getty Images)

Milhares de manifestantes foram às ruas de Buenos Aires, Argentina, neste sábado (27), em defesa da vice-presidente do país, Cristina Kirchner, acusada de fraude e corrupção. Os manifestantes entraram em confronto com a polícia local, e a líder argentina precisou pedir a suspensão dos protestos.

Publicidade

A agência de notícias oficial da Argentina Télam informou que a polícia usou bastões e gás lacrimogêneo contra os manifestantes depois que um grupo de pessoas derrubou cercas que o governo da cidade ordenou que fossem colocadas perto da residência da vice-presidente.

Pelo menos 14 policiais ficaram feridos no confronto, segundo Felipe Miguel, chefe de gabinete do governo de Buenos Aires. Quatro manifestantes foram presos após o incidente, disse o governo local.

O prefeito de Buenos Aires, Horacio Rodríguez Larreta, disse que policiais feridos estão sendo atendidos no hospital. “A manifestação se transformou em uma situação de violência. Houve um grupo de manifestantes que começou a derrubar as cercas, atirar pedras, atacar a polícia”, disse Larreta

O prefeito ainda acrescentou que “na cidade de Buenos Aires a violência é o limite. Não permitiremos situações de violência, enquanto houver (tais situações), a polícia agirá”.

Publicidade

Um promotor federal na Argentina pediu na segunda-feira (22) que Kirchner cumpra uma sentença de 12 anos de prisão por suposta corrupção. O tribunal ainda não se pronunciou sobre o pedido do promotor.