Presidente da Ucrânia insiste na exclusão aérea em discurso aos EUA

Zelensky ainda pediu que todas as empresas dos EUA saiam da Rússia, e sugeriu a criação de uma nova “aliança de países responsáveis” com força para interromper conflitos

Presidente da Ucrânia insiste na exclusão aérea em discurso aos EUA
Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, (Créditos: Chris McGrath/Getty Images)

Enquanto as negociações entre a Rússia e a Ucrânia devem continuar nesta quarta-feira (16), Volodymyr Zelensky, presidente ucraniano, fez um discurso no congresso americano e disse que o país necessita da ajuda dos americanos com exclusão aérea, o envio das armas ou aumento de sanções contra os russos. Ele ainda pediu que todas as empresas dos EUA saiam da Rússia e sugeriu a criação de uma nova “aliança de países responsáveis” com força para interromper conflitos.

Publicidade

“Lembrem-se de ataque (japonês) a Pearl Harbor (em 1941), e do World Trade Center (2001)“, disse Zelensky ao Congresso. “Estamos passando pelo mesmo agora. É muito pedir uma zona de exclusão aérea por vidas? Se for muito, oferecemos uma alternativa… Sabemos o tipo de defesa que precisamos. Sabemos o que é preciso na batalha, de um sistema que defenda nosso povo. Aeronaves que ajudem a Europa… A Ucrânia é grata por tudo o que os Estados Unidos têm feito por nós, que nos ajuda a pressionar o inimigo economicamente… Mas precisamos de mais”.

“A Rússia atacou não apenas a nós, não apenas nossa terra, não apenas nossas cidades. Entrou em uma ofensiva brutal contra nossos valores, valores humanos básicos… Ele (Putin) jogou tanques e aviões contra nossa liberdade, contra nosso direito de viver livremente em nosso próprio país, escolhendo nosso próprio futuro. Contra nosso desejo de felicidade, contra nosso sonho nacional, assim como os mesmos sonhos que vocês têm, vocês, americanos. Apenas como qualquer outra pessoa nos Estados Unidos”, disse Zelesnky.

“As guerras do passado fizeram com que nossos antepassados criassem instituições, mas precisamos de novas alianças”, declarou o ucraniano. Ele propôs um molde de “união de países que tenham força e consciência de interromper conflitos imediatamente, trazendo assistência em 24 horas com armas, com sanções, com apoio político e financeiro, para estabilizar a paz rapidamente”. “Essa união poderia dar assistência àqueles que vivem desastres naturais”, disse, e ainda falou da pandemia da Covid-19 como um exemplo de mobilização com a qual tal aliança poderia se empenhar.

A capital da Ucrânia, Kiev, está com toque de recolher de 35 horas depois de explosões atingirem prédios residenciais. Kiev, que está tomada por tropas russas, está em alerta para novos ataques aéreos. Será permitido que as pessoas circulem apenas para entrar em abrigos antiaéreos. Nas primeiras horas desta quarta-feira (16), um prédio residencial de 12 andares perto do centro de Kiev foi atingido por um bombardeio russo, segundo serviço de emergência da Ucrânia.

Publicidade

Nesta quarta a Rússia disse que as “negociações de paz” com a Ucrânia não são fáceis, mas que há alguma esperança de chegar a um compromisso e que a “neutralidade para Ucrânia” está sendo seriamente discutida.

Sergei Lavrov, ministro das Relações Exteriores, disse à RBC News, que “as negociações não são fáceis por razões óbvias”. Mas, no entanto, há alguma esperança de chegar a um compromisso.”