Soldados da Rússia derrubaram por acidente seu próprio avião

Segundo chefe do serviço de inteligência britânico, Jeremy Fleming, russos sabotaram equipamentos

Jeremy Fleming, chefe do serviço de inteligência britânico, afirmou que soldados da Rússia na Ucrânia derrubaram por acidente seu próprio avião, sabotaram seu equipamento e se recusaram a cumprir ordens.

Publicidade

De acordo com a emissora britânica Sky News, Fleming disse que os conselheiros do presidente russo, Vladimir Putin, têm medo de em dizer a verdade sobre o quão ruim as coisas estão na Ucrânia. O conflito chega hoje ao 36º dia.

“Cada vez mais parece que Putin julgou mal a situação” na Ucrânia, disse ele. “Vimos soldados russos – com falta de armas e moral – se recusando a cumprir ordens, sabotando seu próprio equipamento e até derrubando acidentalmente sua própria aeronave”, revelou. Ele não ofereceu nenhuma evidência ou mais detalhes sobre o assunto.

Na avaliação de Fleming, Putin julgou mal a resistência ucraniana, subestimou a força da resposta ocidental e as consequências econômicas. Na mesma linha, a Casa Branca, com base em relatórios desclassificados de inteligência, também disse, nesta quarta-feira (30), que Putin está mal informado sobre o desenvolvimento da guerra e suas relações com seu Estado-Maior se deterioraram.

O oficial sênior de inteligência britânica, em um raro discurso público hoje na Austrália, também disse o Grupo Wagner, formado por mercenários fortemente armados e com experiência de combate na África Subsaariana, Líbia e Síria, está preparado para “enviar um grande número de pessoal para a Ucrânia para lutar ao lado dos russos”.

Publicidade

Putin convoca 134 mil recrutas

Na data de hoje, Putin assinou um decreto ordenando a convocação de 134.500 novos recrutas para o Exército da Rússia. De acordo com a agência Reuters, o Ministério da Defesa russo disse que a convocação não tem relação com a guerra. Em 9 de março, o ministério reconheceu que alguns recrutas foram enviados para a Ucrânia.

Do lado ucraniano, sem notar uma diminuição na atividade militar da Rússia, o Ministério da Defesa da Ucrânia observa um “movimento de equipamentos militares” das forças russas em Belarus, país, em sua fronteira, que é aliado dos russos. ara o ministério, isso ocorre “provavelmente com o objetivo de reagrupar unidades, além de criar uma reserva para repor perdas em mão de obra, armas e equipamentos de grupos operando na Ucrânia”.

“Os principais esforços do inimigo estão focados em manter as fronteiras ocupadas, preparando a retomada das operações ofensivas em certas áreas, e estabelecendo o controle total sobre o território das regiões de Donetsk e Lugansk”, disse o ministério ucraniano, citando as regiões separatistas, líderes pró-Rússia reivindicam avanços nessas áreas. A Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) também espera mais ataques. Amanhã, os russos e ucranianos devem ter mais uma reunião para negociações da guerra.

Publicidade

“Esta é a cidade de Mariupol. o que você pensa sobre isso?”

Publicidade