Pós-Guerra

Ucrânia estima que reconstrução do país custe US$ 750 bilhões

De acordo com o primeiro-ministro Denys Shmyhal, os bens congelados de oligarcas russos e da própria Rússia deveriam ser utilizados para financiar parte da reconstrução da Ucrânia.

Ucrânia estima que reconstrução do país custe US$ 750 bilhões
Denys Shmyhal (foto) destacou que existe um trabalho colossal a ser feito na reconstrução da Ucrânia (Crédito: Kevin Dietsch/Getty Images)

Nesta segunda-feira (04), o primeiro-ministro ucraniano, Denys Shmyhal, propôs que a reconstrução da Ucrânia no pós-guerra seja financiada com dinheiro russo. Segundo as estimativas de Kiev, seriam necessários pelo menos 750 bilhões de dólares.

Publicidade

Durante a 1ª Conferência de Recuperação da Ucrânia, que acontece em Lugano, na Suíça, delegações de 38 países e representantes de 14 organizações internacionais discutem o que está sendo chamado de “Plano Marshall para a Ucrânia”, em alusão ao plano elaborado pelos Estados Unidos para a recuperação da Europa pós Segunda Guerra Mundial.

De acordo com o primeiro-ministro Denys Shmyhal, os bens congelados de oligarcas russos e da própria Rússia deveriam ser utilizados para financiar parte da reconstrução da Ucrânia. Estes bens, somados, têm um valor estimado de 300 a 500 bilhões de dólares. Por outro lado, especialistas jurídicos alertam para a dificuldade de confiscar e utilizar estes bens congelados e dizem que julgamentos em tribunais internacionais serão necessários para isto.

Durante o evento, através de uma chamada de vídeo, o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, fez um apelo para que os países aceitem o plano:

“A reconstrução da Ucrânia é uma tarefa comum de todo o mundo democrático (…) Entre outras coisas, [a reconstrução] vai criar milhões de novas ligações no mundo democrático, na Europa, entre os nossos países. Cada cidade, cada comunidade, cada indústria a ser reconstruída terá provas históricas de quem ajudou nisto.”

Publicidade

Publicidade