Fale conosco

O que vc está procurando?

Entretenimento

Para evitar impostos, filha de Pablo Picasso doa obras

A cessão é composta por nove obras de arte do cubista espanhol. Elas farão parte do acervo do Museu Picasso de Paris, que conta com mais de 5 mil peças do artista

Para evitar impostos, filha de Pablo Picasso doa obras
Obra "Guernica" pintada em uma parede (Crédito: Marcelo Hernandez/Getty Images)

A filha do pintor espanhol Pablo Picasso (1881-1973) doou nesta segunda-feira (20), para a França, nove obras do seu pai. A cessão é composta por seis pinturas, duas esculturas e um quadro de desenhos. Estas joias artísticas passarão a fazer parte do Museu Picasso de Paris em 2022, somando-se assim à coleção de mais de cinco mil obras do artista de Málaga. A doação ajuda os herdeiros a evitar o pagamento de encargos tributários significativos por motivos de herança.

Durante o evento realizado no museu parisiense, Maya Ruiz Picasso, de 86 anos, filha de Picasso e Marie-Thérèse Walter, não pôde comparecer devido ao seu estado de saúde e foi representada pelos filhos Diana e Olivier. O evento contou com a presença do ministro de Economia francês, Bruno Le Maire, que declarou: “O que seria da França sem o espanhol Pablo Picasso?”

Enquanto isso, Olivier Widmaier Picasso, neto do artista, disse à agência AFP: “É um novo enriquecimento (para o Museu Picasso) com obras que minha mãe sempre guardou com a intenção de que acabassem em um museu”.

Por sua vez, a ministra de Cultura da França, Roselyne Bachelot, que também participou do evento, destacou que se trata de uma doação “excepcional”, a primeira desde 1990.

A única obra do artista que foi mostrada durante o anúncio de doação foi uma pintura cubista chamada “Menino com um pirulito sentado embaixo de uma cadeira”, pintura que Picasso desenvolveu logo após uma de suas obras mais famosas, a “Guernica”, em 1938. De acordo com o neto de Picasso, esta pintura representa sua mãe Maya escondida sob os móveis, como um arauto sombrio do conflito mundial que se aproxima.

As nove obras contribuem para manter o Museu Picasso de Paris como o maior depositário da obra e da vida de Picasso, com mais de cinco mil peças, 300 pinturas e 200 mil documentos e objetos. A pintura mais antiga da nova coleção data de 1895 e é o retrato do pai de Picasso, Don José Ruiz, enquanto a mais recente, “Tête d’Homme”, foi criada durante o verão de 1971, durante a última fase de sua obra.

Por sua vez, esta doação é conveniente para que os herdeiros da família Picasso evitem o pagamento de impostos significativos por motivos de herança.

Quando criança, Maya foi frequentemente pintada por seu pai, durante os anos sombrios da Segunda Guerra Mundial e da ocupação alemã. “A França foi a escolha do meu pai e nunca pensei em ir para outro lugar”, explicou a filha de Picasso em uma carta lida por seu filho Olivier durante o evento.

Obras de Picasso doadas à França

1) “Don José Ruiz” (1895): pintura dos inícios artísticos do artista. Picasso pintou seu pai de perfil, com uma delicada paleta de marrons. No quadro, ele captura a lendária seriedade de seu pai, um homem que com sua disciplina foi fundamental para que Picasso iniciasse sua carreira de pintor.

2) “Estudo para uma intérprete de bandolim” (1932): uma obra mista, óleo e carvão.

3) “Menino com um pirulito sentado sob uma cadeira” (1938): pintado em pleno vigor artístico de Picasso. Um retrato cubista em preto e branco que remete nitidamente aos personagens encurralados de “Guernica”.

4) “Retrato de Émilie Marguerite Walter (Mémé)” de 1939: retrato cubista onde o personagem é pintado com cores e apresenta um sorriso alegre. Trata-se da avó de Maya, a mãe sueca de Marie-Thérèse.

5) “A Vênus do Gás” (escultura de 1945): o artista pegou um queimador de gás, endireitou-o, o colocou sobre um pedestal de madeira e o transformou em uma deusa com ares pré-históricos.

6) “O Bobo” (1959): pintura em óleo que se apropria da figura do anão da corte, tantas vezes retratado por Velázquez. O personagem aparece rindo, com uma garrafa em uma das mãos e uma frigideira com o que parecem ser dois ovos fritos na outra.

7) Caderno de desenhos sobre a pintura “Almoço na grama” de Edouard Manet (1863).

8) “Cabeça de homem” (1971): pertence à fase final de Picasso. Este óleo foi escolhido para ilustrar a capa do catálogo da última exposição do artista em vida.

9) A última peça doada à França não é uma obra de Pablo Picasso, mas sim algo que o acompanhou por toda a vida desde que a comprou na primeira década do século XX. Esta é uma estatueta Tiki das Ilhas Marquesas, um magnífico exemplo de arte primitiva.

Fonte: RFI

MF CP

*Este texto não reflete, necessariamente, a opinião da Perfil Brasil.

*Texto publicado originalmente no site Perfil Argentina.

Mais em Perfil

Últimas Notícias