Fale conosco

O que vc está procurando?

Saúde

RJ: casos antigos causaram recorde de notificacões de covid-19

rj:-casos-antigos-causaram-recorde-de-notificacoes-de-covid-19

As secretarias municipal e estadual de Saúde do Rio de Janeiro afirmaram hoje (12) que os recentes recordes na média móvel de novos casos de covid-19 foram causados pela notificação de casos antigos da doença, que ocorreram em semanas anteriores e só entraram no sistema nos últimos dias.

Segundo o painel Monitora Covid-19, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), a média móvel de novos casos de covid-19 no estado do Rio de Janeiro atingiu 5,5 mil novas notificações diárias em 8 de maio. O recorde anterior, de 10 de janeiro, havia sido de 3,5 mil casos por dia em média.

O patamar elevado foi atingido de forma acelerada, já que, no início de maio, a média estadual era de cerca de 3,1 mil novos casos por dia. Tal aumento foi puxado pela cidade do Rio de Janeiro, onde a média saltou de 900 para 3,7 mil novos casos diários em apenas uma semana.

Segundo a Secretaria de Estado de Saúde, ocorreu um represamento de casos, termo usado quando um grande volume de dados não é preenchido no sistema de notificações e se acumula, impactando os dias posteriores.

“Na última semana (quarta e quinta-feira), houve um grande volume de notificações de casos represados por parte do município do Rio de Janeiro. Isto não significa dizer que os casos ocorreram na semana passada, mas que foram inseridos no sistema nestas datas, gerando o aumento observado”, afirma a secretaria.

A Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro explicou que esse aumento de casos confirmados ocorreu quando equipes de Atenção Primária e Vigilância em Saúde incluíram resultados laboratoriais e encerraram casos de Síndrome Gripal no sistema e-SUS de vigilância epidemiológica (VE). “Na maioria, os casos divulgados ocorreram em semanas anteriores”, afirma a secretaria municipal.

Data da notificação

A SES defende a utilização da data de início dos sintomas para acompanhar a evolução dos novos casos na pandemia, e a data de ocorrência dos óbitos para entender se a mortalidade está caindo ou subindo. Segundo a secretaria, a contabilização de casos por data de notificação sofre com distorções, como a inclusão de casos antigos no sistema.

A data da notificação de um caso ou óbito é o dia em que ocorre a sua inclusão no sistema e-SUS, fazendo com que integre os números oficiais da pandemia. Tal notificação pode ocorrer semanas depois do início dos sintomas, já que, antes, é necessária a confirmação do diagnóstico e a digitação da notificação por servidores da saúde no sistema e-SUS. Por isso, o número de pessoas que tiveram o primeiro sintoma ou morreram em um determinado dia demora vários dias para ser consolidado, e, quanto mais recente for esse dia, mais distante o número estará da realidade, já que ainda haverá diversos casos e óbitos aguardando confirmação ou digitação.

Outra dificuldade em acompanhar o número de casos na pandemia é a subnotificação. Pesquisadores consideram que o número de novos casos é mais sujeito à subnotificação que o número de novos óbitos, já que casos leves muitas vezes não passam por testes ou recebem diagnósticos. 

(Agência Brasil)