Insegurança na Política

Deputada Andréia de Jesus recebe reforço em sua segurança: ‘Não quero ser estatística como Marielle foi’, diz

A deputada tem sido vítima de ameaças e ataques racistas anônimos.

Deputada Andréia de Jesus recebe reforço em sua segurança: 'Não quero ser estatística como Marielle foi', diz
A violência política preocupa parlamentares (Crédito: Reprodução/Instagram)

A deputada estadual Andréia de Jesus (PT) receberá um reforço em sua segurança a partir desta segunda-feira (11). A deputada tem sido vítima de ameaças e ataques racistas anônimos, portanto mais um policial militar acompanhará a rotina de Andréia.

Publicidade

A parlamentar já contou com dois policias fazendo a sua segurança, mas, em março deste ano, esse efetivo foi reduzido para apenas um policial, que trabalhava em dias alternados. Após novas ameaças, a Assembleia Legislativa de Minas Gerais voltou a disponibilizar dois servidores para a segurança da deputada, que solicitou a medida reiteradas vezes.

Em entrevista ao g1, Andréia de Jesus afirma estar preocupada com a sua segurança, principalmente depois do assassinato do tesoureiro do PT em Foz do Iguaçu, no Paraná:

“Desde que assumi este mandato, corro risco de vida todos os dias. Preocupa-me muito o atentado ao tesoureiro do PT em Foz do Iguaçu. Os bolsonaristas seguem armados até os dentes e possuem a munição dos poderes. Horrível, triste, desesperador. Minha vida está em jogo e mal consigo dormir. Espero que, dessa vez, a escolta seja cumprida e permaneça enquanto estiver em meu mandato como parlamentar. Não quero ser estatística como Marielle Franco foi.”

A deputada recebeu, em seu gabinete, uma carta com ofensas racistas e com um símbolo nazista. Na correspondência, a parlamentar é chamada de “macaca” e de “amiga de bandido”.

Publicidade

Publicidade