POLÊMICA

ACM Neto fala sobre polêmicas sobre sua autodeclaração como pardo

Candidato disse em entrevista que está recebendo críticas por não ser de esquerda e nega interesse no fundo eleitoral.

Campanha do candidato nega bronzeamento artificial (Reprodução/ACM Neto via Twitter)

O candidato a governador pela Bahia, ACM Neto (União Brasil), falou sobre a polêmica ao redor de sua autodeclaração como pardo ao site Poder360 nesta sexta-feira (23). Segundo Neto, a discussão tem cunho político “por ele não ser de esquerda”.

Publicidade

“Essa discussão só vale porque eu não sou político de esquerda? Eles podem se autodeclarar e eu não posso? Eu não aceito isso. É uma hipocrisia“, disse Neto ao Poder360.

Opositores do candidato o acusam de “falsificar” uma pele mais escura, com base em rumores de que ACM Neto fez sessões de bronzeamento artificial para se autodeclarar pardo. Outra evidência usada pela oposição é a de que o político se autodeclarou branco em seu registro de candidatura no Tribunal Superior Eleitoral, enviado em agosto.

Em contrapartida, ACM Neto disse que sua carteira de identidade o indica como pardo. A respeito da declaração no TSE, Neto disse que o registro foi feito por uma advogado e que ele pediu para que a informação fosse alterada assim que soube que aparece como branco.

Sobre o bronzeamento artificial, a campanha do candidato diz que não há provas de que as sessões foram feitas.

Publicidade

Os que acusam o candidato de mentir afirmam que ele o faz para arrecadar mais dinheiro da parcela de seu partido do Fundo Eleitoral, uma vez que a lei prevê uma maior verba para autodeclarados negros ou pardos e mulheres. Neto também se defender dessas acusações na entrevista. “Em 2016, quando foi exigida (a autodeclaração) pela 1ª vez – e na época não havia fundo eleitoral ou financiamento público – eu me declarei como pardo“, afirmou.

 

Publicidade