Fora do Jogo

Candidatura de Faraó dos Bitcoins é barrada pelo TRE-RJ

Glaidson Acácio dos Santos é suspeito de comandar um sistema de pirâmides financeiras, ou Ponzi, envolvendo moedas digitais.

Candidatura de Faraó dos Bitcoins é barrada pelo TRE-RJ
Glaidson Acácio dos Santos (DC) (Crédito: Reprodução/TV Globo)

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) barrou, nesta segunda-feira (12), por unanimidade, a candidatura de Glaidson Acácio dos Santos (DC), o “faraó dos bitcoins”, a deputado federal. Glaidson está preso preventivamente por suspeita de comandar um esquema de pirâmide de criptomoedas.

Publicidade

Ele é dono da empresa GAS Consultoria e Tecnologia, com sede em Cabo Frio (RJ), na região dos lagos fluminense, e operava um sistema de pirâmides financeiras, ou Ponzi, envolvendo moedas digitais.

A candidatura do empresário, que permanece preso, foi impugnada por unanimidade pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ), sob a justificativa de que Santos é dirigente de um estabelecimento financeiro objeto de processo de liquidação. O relator do processo, desembargador Luiz Paulo da Silva Araújo Filho, ressaltou que Santos é acusado de crimes federais, incluindo ligações com a milícia.

Em setembro do ano passado, a Câmara Criminal do Ministério Público Federal (MPF) autorizou a venda das criptomoedas apreendidas na Operação Kryptos, num valor total estimado em cerca de R$ 150 milhões, com determinação de depósito em conta judicial.

Em maio, a 5ª Vara Empresarial da Capital do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ) determinou, em caráter liminar, a suspensão por 180 dias de todas as ações e execuções de dívidas da GAS Consultoria, com prazo para apresentar um plano de recuperação judicial.

Publicidade