CIDADE DA ESPERANÇA

Homem de 66 anos se torna o quarto caso de HIV curado no mundo

O paciente curado disse à assessoria de imprensa do hospital que achou que nunca veria seu corpo livre da doença.

O HIV ataca as células de defesa do corpo, suprimindo o sistema imunológico (Créditos: John Moore/Getty Images)
Médicos de um hospital na Califórnia observaram que um de seus pacientes foi curado do vírus do HIV após um transplante de medula óssea. O homem está sendo chamado de Paciente Cidade da Esperança, em homenagem ao nome do hospital em que foi tratado.
 
O homem tem 66 anos de idade e era portador do vírus desde 1988. Na época, os medicamentos retrovirais ainda não estavam disponíveis e muitos portadores morriam em decorrência da infecção. O paciente curado, que pediu para a imprensa para não ser identificado, relatou que na época acreditava que estava com uma sentença de morte.
 
A história teve sua reviravolta quando os médicos do hospital recomendaram que o homem realizasse um transplante de medula óssea por conta de uma leucemia que ele vem enfrentando há 3 anos. O doador, coincidentemente, é portador de uma mutação que o permite produzir uma versão modificada da proteína CCR5.
O HIV se infecta as células dos góbulos brancos do corpo, razão pela qual afeta o sistema imunológico, porém algumas pessoas portam uma mutação que impede que o vírus adente essas células. As células são invadidas por meio da CCR5, que acaba funcionando como ‘porta de entrada’, mas a mutação em questão faz com que o corpo produza versões dessa proteína que inibem essa infecção.
 
Felizmente, as células do ‘Paciente Cidade da Esperança’ também começaram a produzir essa versão da proteína e ele está há mais de um ano livre do HIV, com os médicos tendo informado que ele está totalmente curado da doença e há 17 meses sem sintomas.
Apesar da conquista, a notícia não significa necessariamente um salto da comunidade médica em direção à cura do HIV, mas pesquisadores continuam apostando na proteína CCR5.

Publicidade