Portugal x Brasil

Após encontro com Lula, presidente português diz não saber se encontro com Bolsonaro será mantido

A comitiva portuguesa contou que não foi informada oficialmente sobre o cancelamento do encontro entre Bolsonaro e Rebelo, portanto, o evento continua na agenda.

Após encontro com Lula, presidente português diz não saber se encontro com Bolsonaro será mantido
Encontro entre Lula e Rebelo de Sousa neste domingo (3) (Crédito: Divulgação/ Ricardo Stuckert)

O presidente de Portugal, Marcelo Rebelo, afirmou neste domingo (3) que não sabe se Jair Bolsonaro (PL) desmarcará oficialmente o encontro que havia marcado com ele para esta segunda (4), em Brasília. Rebelo comentou sobre o assunto, após se encontrar com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em São Paulo. Dias atrás, o presidente brasileiro, informou que não se encontraria com Rebelo caso, o mesmo, se reunisse com Lula.

Publicidade

A comitiva portuguesa contou que não foi informada oficialmente sobre o cancelamento do encontro entre Bolsonaro e Rebelo, portanto, o evento continua na agenda. “Houve um convite escrito, aceitei por escrito. Vou ficar no programa originário”, disse o presidente de Portugal à imprensa. Logo em seguida, ele afirmou que já está reprogramando a agenda caso o encontro não seja confirmado. “Se até o começo da tarde não houver uma confirmação por escrito, fico por São Paulo”, falou.

Publicidade

O presidente português comentou que conversou com Lula sobre a Guerra da Ucrânia e seus impactos geopolíticos e sociais no mundo. “Falei com o ex-presidente Lula como já havia falado há um ano. Falarei com [Michel] Temer, Fernando Henrique [Cardoso], todos os ex-presidentes“, disse Rebelo. Ainda em sua declaração, ele disse que gostaria de voltar ao Brasil em setembro, e se caso ocorra, ele agirá de forma diferente. “A campanha estará correndo”, afirmou.

Rebelo de Sousa opinou sobre o episódio e disse que “como chefe de Estado, não alterou nada meu relacionamento com o chefe de Estado brasileiro, nem do Estado português com o Estado brasileiro nem no relacionamento entre os povos português e brasileiro.” 

 

Publicidade