Prefeitura confirma dois mortos em enxurrada em Petrópolis

Foi decretado estado de calamidade pública por causa da chuva, que chegou a 260 milímetros em seis horas

calamidade-em-petropolis-prefeitura-confirma-dois-mortos-em-enxurrada
Carros levados pela chuva (Reprodução/ Redes Sociais)

A enxurrada que atingiu o município de Petrópolis, na região serrana do Rio de Janeiro, nesta terça-feira (15) deixou pelo menos dois mortos, mas a quantidade de vítimas fatais pode ser maior, pois houve muitos deslizamentos de terra. Segundo a prefeitura, os corpos de um homem e uma mulher foram encontrados após a redução do nível da água nas ruas Buarque de Macedo e Souza Franco.

Publicidade

Foi decretado estado de calamidade pública por causa da chuva, que chegou a 260 milímetros em seis horas.

Equipes dos hospitais foram reforçadas para o atendimento de vítimas. Além da Defesa Civil, agentes das demais áreas do governo seguem no suporte às 95 ocorrências registradas até o momento.

Por volta das 22h, o núcleo de chuva que atuou no município nas últimas horas havia se afastado, permanecendo, contudo, previsão de chuva com intensidade fraca a moderada, o que mantém a cidade em alerta.

Das ocorrências, 80 são de deslizamentos, a maior parte registrada nas localidades de Quitandinha, Alto da Serra, Castelânea, Centro, Coronel Veiga, Duarte da Silveira, Floresta, Caxambu e Chácara Flora.

Publicidade

Houve alagamentos em diversos pontos da cidade. Os 11 registrados pela Defesa Civil foram das regiões do Alto da Serra, Corrêas, Centro e Mosela.

Até às 20h, 120 bombeiros do quartel da cidade estavam nas ruas e 60 militares do Rio seguem em deslocamento para Petrópolis. Também estão sendo enviadas oito ambulâncias para a cidade para atuar no socorro às vítimas. Dez aeronaves foram disponibilizadas para chegar a Petrópolis na manhã desta quarta-feira (16).

O ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, lamentou a situação em suas redes sociais e disse que o presidente Jair Bolsonaro deu ordens de atendimento imediato às vítimas.

Publicidade

“Esse é o momento de prestar socorro e apoiar as forças estaduais e municipais na remoção das pessoas das áreas de risco, bem como de oferecer todo o suporte aos desabrigados. O PR @jairbolsonaro nos determinou mobilização em benefício das pessoas”, escreveu Marinho.

(Agência Brasil)

Publicidade