Em discurso, Bolsonaro defende a ditadura militar e ataca ministros do STF

Sem citar nomes de ministros, Bolsonaro mandou aqueles que não tenham “ideias” para o país calarem a boca e vestirem a toga “sem encher o saco”

Em discurso, Bolsonaro defende a ditadura militar e ataca ministros do STF
O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro (Crédito: Andressa Anholete/Getty Images)

Em discurso realizado nesta quinta-feira (31) no Palácio do Planalto, o presidente Jair Bolsonaro (PL) defendeu a ditadura militar brasileira e criticou as últimas movimentações do Supremo Tribunal Federal (STF).

Publicidade

Bolsonaro começou o seu discurso lembrando que nesta quinta (30) é aniversário do golpe militar de 1964. O presidente, ao contrário do que registra os fatos e a história, afirmou que não houve golpe na época.

“Hoje, 31 de março. O que aconteceu em 31? Nada. A história não registra nenhum presidente da República tendo perdido o seu mandato nesse dia. Por que então a mentira? A quem ela se presta?”, disse o presidente.

Depois, omitindo os episódios de tortura característicos da ditadura e a cassação de direitos individuais, Bolsonaro disse que, na época, todos tinham direito de ir e vir. “Todos aqui tinham direito, de ir e vir, de sair do Brasil, de trabalhar, de constituir família, de estudar, como muitos aqui estudaram naquela época”, disse Bolsonaro.

“Quem esteve no governo naquela época fez a sua parte. O que seria do Brasil sem obras do governo militar? Não seria nada, seríamos uma republiqueta”, completou o presidente.

Publicidade

Ataques a ministros do STF

Bolsonaro aproveitou o discurso para voltar a fazer ataques a ministros do STF. Sem citar nomes, afirmou que há “poucos inimigos” no Brasil e que eles habitam a “região dos Três Poderes” (praça em Brasília que fica entre o Palácio do Planalto, Congresso e STF).

“Temos inimigos, sim. São poucos inimigos de todos nós aqui no Brasil, poucos, e habitam essa região dos três poderes. Esses poucos podem muito, mas não podem tudo”, declarou Bolsonaro.

Nesse ponto, Bolsonaro se exaltou e mandou aqueles que não tenham “ideias” para o país calarem a boca e vestirem a toga “sem encher o saco”.

Publicidade

“Nós aqui temos tudo para sermos uma grande nação, para sermos exemplo para o mundo. O que que falta? Que alguns poucos não nos atrapalhem. Se não tem ideias, cale a boca! Bota a tua toga e fica aí sem encher o saco dos outros! Como atrapalham o Brasil!”, atacou Bolsonaro.

Publicidade