consequência dos temporais

Pernambuco cria projeto que prevê pagar R$ 1,5 mil a vítimas das chuvas

Mais de R$ 120 milhões do Tesouro Estadual serão mobilizados na iniciativa.

pernambuco-cria-projeto-que-preve-pagar-r-15-mil-a-vitimas-das-chuvas
Fortes chuvas em Pernambuco (Crédito: Divulgação/ Prefeitura da Aliança)

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), encaminhou nesta sexta-feira (3) à Assembleia Legislativa dois projetos de lei para assistência às vítimas das chuvas que atingiram o estado nas últimas semanas. Uma das propostas cria o Auxílio Pernambuco, que vai pagar R$ 1,5 mil às famílias que estão desabrigadas ou perderam bens em consequência dos temporais.

Publicidade

De acordo com a proposta, mais de R$ 120 milhões do Tesouro Estadual serão mobilizados nesse projeto. A previsão do governo é que 82 mil famílias dos municípios que declararam situação de emergência sejam beneficiadas.

A outra iniciativa proposta por Paulo Câmara prevê que os dependentes de pessoas falecidas em consequência dos temporais terão direito a uma pensão vitalícia de um salário mínimo. “Hoje encerramos as buscas pelas pessoas desaparecidas. Quero prestar minha solidariedade aos familiares das 128 vítimas e informar que estamos decretando luto oficial de três dias, em memória dessas pessoas. Vamos repassar cerca de R$ 120 milhões aos municípios em situação de emergência para que seja pago o Auxílio Pernambuco às famílias prejudicadas”, afirmou o governador.

Hoje, o estado de Pernambuco tem 32 cidades em estado de emergência e, com as 128 vítimas registradas. O total de desabrigados subiu para 9.302, com essas pessoas sendo mantidas em 111 abrigos distribuídos em 27 municípios.

A tragédia da última semana supera as chuvas e cheias de 1975, quando 107 pessoas morreram no estado. Uma enchente de maio de 1966 matou 175 pessoas e continua como o maior desastre da história de Pernambuco.

Publicidade

“Agora é fazer todo o trabalho de prevenção, aproveitando os dias que não tenham chuvas e fazendo o trabalho em campo”, disse o governador. “Todo mundo vai ficar em alerta nesses próximos 60 dias, quando ainda devem ocorrer chuvas. Não há nenhuma previsão de chuvas fortes para as próximas semanas, mas nós temos que ficar alertas até o final desse período”, acrescentou.