EXECUÇÃO?

Saiba quem são os médicos de São Paulo baleados no Rio de Janeiro

O crime aconteceu na madrugada desta quinta-feira (5), em frente a um quiosque; três homens de preto desembarcaram de um carro armados de pistolas e abriram fogo à queima-roupa

Saiba quem são os médicos de São Paulo baleados no Rio de Janeiro
Diego Ralf Bomfim (esq.), Marcos de Andrade Corsato (dir.) e Perseu Ribeiro Almeida não resistiram aos ferimentos (Crédito Foto:: Reprodução)

Três médicos ortopedistas de São Paulo foram mortos a tiros e um quarto foi baleado, na madrugada desta quinta-feira (5), em um quiosque na Praia da Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Publicidade

Eles estavam na cidade para participar de um congresso internacional de ortopedia. A Polícia Civil do RJ acredita em execução, já que nada foi levado, e os criminosos chegaram atirando.

Veja quem são os médicos baleados:

Diego Ralf Bomfim, 35 anos: Especialista em Reconstrução Óssea pelo Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. Morreu no Hospital Lourenço Jorge. O médico era irmão da deputada Sâmia Bonfim (PSOL-SP);

Marcos de Andrade Corsato, 62 anos. Diretor do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital de Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP). Morreu na hora;

Perseu Ribeiro Almeida, 33 anos: Especialista em Cirurgia do Pé e Tornozelo pelo Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. Fez aniversário na terça (3). Morreu na hora;

Publicidade

Daniel Sonnewend Proença, 32 anos: Formado pela Faculdade de Medicina de Marília em 2016, é especialista em cirurgia ortopédica. Foi levado com vida para o Hospital Municipal Lourenço Jorge com pelo menos três tiros e seria transferido para uma unidade particular.

Todos eles estavam hospedados no Hotel Windsor, na Avenida Lúcio Costa, que sedia a partir desta quinta-feira o 6º Congresso Internacional de Cirurgia Minimamente Invasiva do Pé e Tornozelo.

No início da madrugada, os quatro médicos de São Paulo estavam em um quiosque na frente do hotel. Às 0h59, um carro branco parou, e três homens de preto e armados de pistolas desembarcaram e abriram fogo à queima-roupa.

Publicidade

Foram pelo menos 20 disparos. Um dos bandidos ainda voltou para atirar mais em um dos médicos que tentava se refugiar atrás do quiosque.

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber grátis o Menu Executivo Perfil Brasil, com todo conteúdo, análises e a cobertura mais completa.

Grátis em sua caixa de entrada. Pode cancelar quando quiser.