Falas em Tom de Ameaça

Secretária acusada de assédio após vitória de Lula é demitida

A funcionária do Ministério da Cidadania teria dito que iria “infernizar todos os dias da próxima gestão”.

Secretária acusada de assédio após vitória de Lula é demitida
Luciana Siqueira teria ameaçado seus funcionários (Crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

A secretária Nacional de Atenção à Primeira Infância do Ministério da Cidadania, Luciana Siqueira Lira de Miranda, foi demitida nesta terça-feira (22) por assédio moral. O caso aconteceu no dia seguinte da eleição de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) como novo presidente do Brasil.

Publicidade

Segundo informações divulgadas pela GloboNews, Luciana Siqueira, que ocupava o cargo desde 2020, foi denunciada por funcionários do Ministério da Cidadania. Alguns colegas relataram que Siqueira ameaçou os que votaram em Lula no segundo turno.

Segundo os funcionários, o assédio moral aconteceu durante uma reunião que a secretária convocou no dia primeiro de novembro. Cerca de 40 pessoas participaram do encontro, de forma presencial ou remota.

Os relatos apurados pela GloboNews afirmam que “a secretária reclamou da falta de lealdade de alguns da equipe, equiparou à traição de Judas e disse que quem vota em quem rouba não está com Deus. E disse a todos que vai infernizar todos os dias da próxima gestão e que o inferno não vai vencer o céu”.

Ainda de acordo com o documento obtido pela emissora, a secretária Luciana Siqueira também já havia criticado os eleitores de Lula no próprio dia da eleição, no grupo de mensagens dos funcionários.

Publicidade

“Quem votou no PT olha aí, já começaram bem! Orem porque essa secretaria acabou. Quem votou no PT obrigada por contribuir [para] que nosso trabalho desça pelo ralo”, teria escrito Siqueira.

 

Publicidade