Show pró-Lula de Daniela Mercury foi financiado com dinheiro público

Especialistas dividem opiniões em relação a possíveis irregularidades ocorridas no ato.

Show pró-Lula de Daniela Mercury foi financiado com dinheiro público
Daniela agradeceu Lula por se candidatar (Crédito: Ethan Miller/Getty Images)

A cantora Daniela Mercury recebeu R$ 100 mil para participar de um evento organizado por centrais sindicais no Dia do Trabalhador (1º), em São Paulo, porém o pagamento foi feito com verbas públicas. O dinheiro para o cachê saiu de uma emenda do vereador Sidney Cruz (Solidariedade). Outros vereadores como Alfredinho (PT) e Eduardo Suplicy (PT) também destinaram verbas aos shows que aconteceram.

Publicidade

O evento que aconteceu na Praça Charles Miller, em frente ao Pacaembu, contou com a presença de outros artistas como: Dj KL Jay, o rapper Dexter e com a banda Francisco El Hombre, que também receberam pelos shows. Além dos artistas, o evento também recebeu a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que discursou para a multidão.

Os vereadores podem destinar parte de suas verbas para a cultura, e, portanto, podem pagar os shows para a população. A polêmica vem do entendimento dos fatos. A Justiça Eleitoral proíbe carreatas e comícios antes do período eleitoral, que começa em 16 de agosto de 2022. Já os showmícios são proibidos em todos os períodos, como regula a Lei nº 11.300 de 2006.

Durante o show, Daniela Mercury carregou uma bandeira estampada com o rosto de Lula e declarou apoio ao pré-candidato:

“Quem não votar para Lula, vai estar votando contra os pretos, contra os pobres, contra os trabalhadores, contra os artistas, contra a Amazônia, contra tudo o que a gente acredita e vem lutando democraticamente no país.” 

Publicidade

Publicidade

Este apoio gerou o problema. Para o vereador Fernando Holiday (Partido Novo) houve “desvio de finalidade” e o evento é “um verdadeiro escárnio ao princípio da impessoalidade”.

Para as centrais sindicais, o show aconteceu após o ato político e não houve irregularidades, como divulgado em nota conjunta no dia 4 de maio:

“O uso das emendas parlamentares para a realização de festas populares é respaldado pela lei orçamentária do município, que permite a vereadores e vereadoras destinar o valor das emendas a atividades culturais com apresentações artísticas abertas ao público.”

Publicidade

Especialistas dividem opiniões em relação a possíveis irregularidades ocorridas no ato.

A Prefeitura de São Paulo anunciou, por meio da Controladoria Geral do Município, que abriu procedimento para a apuração da conduta da cantora durante o show. A apuração verificará algum desacordo com as regras de contratação para um show deste tipo.

 

Publicidade