CONCESSÃO

Italiana INC S.P.A arremata concessão do Rodoanel da Grande BH

Obra custará R$5 bilhões, mas R$3 bilhões serão pagos pelo Governo de Minas.

Obra deverá começar apenas em 2024 (Créditos: Marcello Casal Jr./Agência Brasil)

Chegou ao fim nesta sexta-feira (12) o leilão da concessão do Rodoanel da região metropolitana de Belo Horizonte, a Grande BH. O valor arrematado foi de R$91.1 milhões pela italiana INC S.P.A.

Publicidade

A INC S.P.A concorria com a chinesa China Railway Construction Corporation (CRCC), a maior empresa de engenharia da China. As negociações aconteceram na sede Bolsa de Valores, em São Paulo, sob a supervisão de representantes do Governo de Minas Gerais.

Após a concessão, a obra no Rodoanel pretende conectar rodovias e cidades da Grande BH, diminuindo o volume de caminhões do Anel Rodoviário de Belo Horizonte e reduzindo os acidentes na via. Espera-se que o contrato seja assinado em dois meses e as obras devem ser iniciadas em 2024.

Utilizando os recursos do acordo com a Vale para os reparos da tragédia de Brumadinho, a previsão é de que o Rodoanel seja expandido em 100 quilômetros através da parceria público-privada, com concessão para operar por 30 anos.

O investimento esperado é de R$5 bilhões no total, sendo R$3 bilhões do Governo de Minas Gerais e o restante da concessionária.

Publicidade

As prefeituras de Betim e Contagem, ambas na Grande BH, estão brigando na justiça contra o Governo de Minas para questionar a concessão do Rodoanel. Segundo a prefeitura de Contagem, a comunidade quilombola localizada próxima às obras não foi consultada sobre o projeto e riscos ambientais também não foram considerados.

Enquanto isso, a prefeitura de Betim alega que o traçado previsto no projeto trará prejuízos ambientais, sociais e culturais para a cidade. A Justiça de Minas negou o pedido da prefeitura, argumentando que não forma apresentados elementos o suficiente para sustentar as irregularidades. A prefeitura irá recorrer no âmbito federal.

Publicidade