Petrobras diz que ‘não há nenhuma decisão’ sobre diminuir o preço dos combustíveis

A Petrobras esclareceu que “ajustes de preços de produtos são realizados no curso normal de seus negócios e seguem as suas políticas comerciais vigentes”

Petrobras diz que 'não há nenhuma decisão' sobre diminuir o preço dos combustíveis
O último reajuste nos preços dos combustíveis realizado pela Petrobras ocorreu no final de outubro (Crédito: Wagner Meier/ Getty Images)

A Petrobras informou nesta segunda-feira (6) que “não há nenhuma decisão tomada” sobre reajustes nos preços de combustíveis. A informação foi divulgada em forma de nota após declarações do presidente Jair Bolsonaro.

Publicidade

Bolsonaro afirmou em uma entrevista ao site Poder360 que a Petrobras faria ajustes de preço ainda nesta semana. “A Petrobras começa nesta semana a anunciar redução no preço do combustível”, declarou o presidente na entrevista, no domingo (5).

No comunicado, a estatal explicou: “A Petrobras monitora continuamente os mercados, o que compreende, dentre outros procedimentos, a análise diária do comportamento de nossos preços relativamente às cotações internacionais. A Petrobras não antecipa decisões de reajuste e reforça que não há nenhuma decisão tomada por seu Grupo Executivo de Mercado e Preços (GEMP) que ainda não tenha sido anunciada ao mercado”.

A Petrobras também esclareceu que “ajustes de preços de produtos são realizados no curso normal de seus negócios e seguem as suas políticas comerciais vigentes”.

Desde 2016, a empresa estatal passou a adotar uma política de preços que se orienta pelas flutuações do preço do barril de petróleo no mercado internacional e pelo câmbio para o reajuste em suas refinarias.

Publicidade

O último reajuste nos preços dos combustíveis realizado pela Petrobras ocorreu no final de outubro.

Nas últimas semanas, os preços internacionais do petróleo recuaram. Na sexta-feira (3), os futuros do petróleo Brent fecharam a US$ 69,88 o barril, enquanto o petróleo dos EUA (WTI) fechou a US$ 66,26. Nesta segunda-feira, porém, o petróleo opera em alta de mais de 2%.

No comunicado divulgado nesta segunda, a Petrobras reitera um “compromisso com a prática de preços competitivos e em equilíbrio com o mercado, ao mesmo tempo em que evita o repasse imediato das volatilidades externas e da taxa de câmbio causadas por eventos conjunturais”.

Publicidade