Docente da USP é demitido após denúncias de assédio sexual

Oito pós-graduandas o acusaram de assédio sexual

docente-da-usp-e-demitido-apos-denuncias-de-assedio-sexual
Campus da ESALQ em Piracicaba. (Crédito: Reprodução/Redes Sociais)

O professor da Universidade de São Paulo (USP) e coordenador do Programa de Pós-Graduação em Microbiologia, Claudio Lima de Aguiar, foi demitido da instituição após denúncias por “reiteradas práticas de assédio sexual e moral” contra alunas.

Publicidade

A exoneração foi assinada pelo reitor Vahan ​Agopyan no último dia 20 de dezembro, cerca de dois anos após o início do processo interno. A Congregação da Esalq (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz) aprovou a demissão em novembro, por 62 votos favoráveis e três abstenções.

Oito pós-graduandas, que foram orientadas pelo docente, o acusaram de assédio sexual. Ao jornal O Globo, seis alunas relataram situações de em que Aguiar praticava recorrentes abusos físicos, comentários sexistas, convites indecentes e abuso de autoridade.

Paulo Moruzzi Marques, diretor regional da Adusp (Associação de Docentes da Universidade de São Paulo) em Piracicaba disse que a exoneração ”trata-se de uma mudança de mentalidade que significa um sinal de superação de posturas machistas e permissivas em razão da hierarquia universitária”.

“É uma conquista obtida pela coragem das mulheres que levaram a denúncia adiante”, conclui Paulo.

Publicidade