Socorro Financeiro

Argentina afirma que manterá metas econômicas acordadas com FMI

O acordo, além de outros pontos, contempla a redução do déficit fiscal para 2,5% do Produto Interno Bruto (PIB) ainda este ano.

Argentina afirma que manterá metas econômicas acordadas com FMI
Silvina Batakis tem um grande desafio pela frente (Crédito: Tomas Cuesta/Getty Images)

A Argentina manterá as metas econômicas previstas no acordo firmado com o Fundo Monetário Internacional (FMI). A informação foi divulgada pela nova ministra da Economia do país, Silvina Batakis, nesta segunda-feira (11).

Publicidade

O acordo, além de outros pontos, contempla a redução do déficit fiscal para 2,5% do Produto Interno Bruto (PIB) ainda este ano. Em sua primeira entrevista coletiva desde que assumiu o cargo, Silvina Batakis retificou a posição da Argentina perante o acordo:

“Mantêm-se as metas acordadas com o FMI. É um acordo que firmamos como Estado e que temos que cumprir”, assegurou a nova ministra.

Neste ano de 2022, a Argentina assinou um acordo de ampliação de recursos com o FMI, substituindo o acordo de crédito em stand-by feito pelo ex-presidente Mauricio Macri. O anovo acordo prevê a redução do déficit fiscal argentino para 3% do PIB em 2021; para 2,5% para 2022; 1,9% em 2023 e 0,9% em 2024.

Dando um esboço de seu plano, a ministra deseja “dar ordem e equilíbrio às finanças públicas”:

Publicidade

“O setor público deve usar os déficits como instrumento anticíclico, mas, passadas as turbulências, o eixo de equilíbrio deve ser retomado. Não vamos gastar mais do que temos.”

Publicidade