China diz que situação humanitária na Ucrânia é grave

O embaixador da China nas Nações Unidas, afirmou que a China ajudará nas negociações de paz

china-diz-que-situacao-humanitaria-na-ucrania-e-grave
Embaixador da China nas Nações Unidas, Zhang Jun (Crédito: Reprodução / Twitter @ChinaAmbUN)

O embaixador da China nas Nações Unidas, Zhang Jun, reconheceu que a situação humanitária na Ucrânia é grave. Zhang declarou aos países membros da Assembleia Geral da ONU que a situação causa preocupações internacionais, mas acrescentou que os países não devem apertar os outros de escolherem um lado.

Publicidade

Zhang declarou que a integridade de todos os países devem ser respeitadas e que a China ajudará nas negociações de paz. Na Assembleia-Geral os discursos foram sobre a situação humanitária da Ucrânia. Na quarta-feira (23)  a embaixadora dos EUA nas Nações Unidas, Linda Thomas-Greenfield, disse aos países membros da Assembleia-Geral da ONU vota a favor dos fim das hostilidades.

De acordo com a CNN, nesta quinta-feira (24), Zhang relatou que é de cortar o coração a situação humanitária da Ucrânia. “As preocupações legítimas de segurança de todos os países devem ser levadas a sério e todos os esforços conducentes à resolução pacífica da crise devem ser apoiados. É de cortar o coração ver a deterioração contínua da situação humanitária na Ucrânia, bem como as vítimas civis e o deslocamento em massa de pessoas causado pelo conflito. A principal prioridade agora é que as partes envolvidas mantenham o máximo de restrições, evitem mais baixas civis e cheguem a um cessar-fogo negociado o mais rápido possível, especialmente para evitar uma crise humanitária em maior escala”.

Conflito Rússia e Ucrânia

No dia 24 e fevereiro, o governo russo invadiu à Ucrânia e bombardeou regiões do país. Após várias ameaças Vladimir Putin autorizou os ataques por terra, ar e mar. Alguns dos motivos pelo qual esta invasão aconteceu é a aproximação da Ucrânia com o Ocidente.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin não aceita que a Ucrânia entre para OTAN. Além disso, Putin quer aumentar o seu poder de influência na região. A Rússia e a Ucrânia já passaram por outros conflitos. Por mais que hoje, a Ucrânia seja independente sua relação com a Rússia não é totalmente resolvida.

Publicidade

“Em 24 de março, horário local, o Conselheiro de Estado e Ministro das Relações Exteriores Wang Yi visitou o Afeganistão e apresentou os “três respeitos” e “três nuncas” da China sobre a questão do Afeganistão. A China respeita a independência, soberania e integridade territorial do Afeganistão, respeita a escolha independente feita pelo povo afegão e respeita as crenças religiosas e os costumes étnicos do Afeganistão. Nós nunca interferimos nos assuntos internos do Afeganistão, nunca buscamos qualquer interesse próprio no Afeganistão e nunca buscamos a chamada esfera de influência.”

*Este texto contém informações retiradas da CNN Brasil.

Publicidade