Violência pelo Mundo

Depois do atentado contra Kirchner, relembre outros casos semelhantes contra líderes mundiais

Bolsonaro, Shinzo Abe, Papa João Paulo 2º e Ronald Reagan; confira alguns casos semelhantes ao de Cristina Kirchner.

Depois do atentado contra Kirchner, relembre outros casos semelhantes contra líderes mundiais
Arma apontada para Crista Kirchner (Crédito: Reprodução/Twitter)

O atentado desta quinta (1º) contra a ex-presidente da Argentina, Cristina Kirchner, acendeu um debate sobre violência política no mundo. O Brasil terá eleições presidenciais no dia 2 de outubro, e o clima de intolerância assusta membros do setor político. Confira alguns casos de atentados contra líderes mundiais.

Publicidade

Atentado Kirchner

A vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner, sofreu um atentado na noite desta quinta-feira (1º), quando chegava em sua residência em Buenos Aires. A ex-presidente foi recebida por uma multidão de apoiadores, mas não imaginava que o brasileiro Fernando Sabag Montiel, 35 anos, estaria armado e tentaria disparar uma pistola contra ela. O suspeito está detido e mais detalhes ainda não foram divulgados.

Publicidade

A facada contra Jair Bolsonaro

No dia 6 de setembro de 2018, o então candidato à Presidência da República, Jair Messias Bolsonaro, foi esfaqueado enquanto caminhava “corpo a corpo” com apoiadores em Juiz de Fora, em Minas Gerais. Bolsonaro foi atingido na barriga por uma facada de Adélio Bispo de Oliveira, 40, natural de Montes Claros (MG). O autor do atentado foi preso em flagrante pela Polícia Federal. A investigação do caso concluiu que Adélio agiu por motivação política, mas sofre de distúrbio mental. Adélio segue cumprindo medidas de segurança.

Atentado fatal: Shinzo Abe

Recentemente, no Japão, o ex-primeiro-ministro Shinzo Abe foi morto após dois disparos de, provavelmente, uma arma caseira. O assassino é um ex-membro das Forças Armadas do Japão, tem 41 anos e está preso. Tetsuya Yamagami disse que planejou o atentado porque estava “insatisfeito” com o ex-primeiro-ministro.

João Paulo II, o atentado perdoado

Em 1981, mais especificamente no dia 13 de maio, o Papa João Paulo II foi baleado diante de 10 mil fiéis, na Basílica de São Pedro, no Vaticano. O autor do atentado foi um jovem turco de 23 anos à época. Mehmet Ali Agca já havia matado um jornalista em seu país e foi condenado à prisão perpétua no presídio de Montacuto de Ancona. Após o perdão do Papa, Agca foi extraditado para a Turquia, onde foi solto em janeiro de 2010.

Publicidade

Atentado Ronald Reagan

O presidente dos Estados Unidos em 1981, Ronald Reagan, também foi vítima de disparos de arma de fogo. Reagan participava de um encontro com sindicatos em um hotel em Washington. Os seguranças arremessaram o presidente no chão logo após os primeiros disparos, salvando a sua vida. John Hinckley, o autor dos disparos, era estadunidense e fã alucinado de Jodie Foster. O criminoso afirmou à polícia que queria chamar a atenção da atriz cometendo um assassinato político.

 

 

Publicidade