EUA pretendem enviar 3 mil soldados para a Europa Oriental

O envio de soldados se deve pelo aumento da tensão na fronteira da Ucrânia com a Rússia

eua-pretende-enviar-3-mil-soldados-para-a-europa-oriental
A Rússia já afirmou que não tem planos de invadir a Ucrânia. (Crédito: Canva Fotos)

Os EUA pretendem mandar cerca de 3 mil soldados para a Europa Oriental nos próximos dias, informou nesta quarta-feira (2) o Pentágono.

Publicidade

O envio de soldados se deve pelo aumento da tensão na fronteira com a Ucrânia devido a realização de exercícios militares da Rússia na área.

Cerca de 2 mil soldados serão enviados para bases militares na Polônia e na Alemanha, informou um porta-voz da Segurança dos EUA em entrevista coletiva. Além desse número, mais de 1 mil soldados americanos que já estão posicionados em bases europeias serão deslocados para a Romênia.

Segundo o governo russo, não existem planos para invadir a Ucrânia. Contudo, potencias ocidentais afirmam que a Rússia está se preparando para uma futura guerra. Isso porque a Rússia vem pressionando para impedir que a Ucrânia se junte à aliança de segurança ocidental da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte).

Na terça (1), soldados russos realizaram práticas militares para treinar movimentos secretos e efetuar disparos com lançadores de granadas. Os exercícios acontecem em meio à mobilização de tropas próximas à fronteira com a Ucrânia. O Ministério da Defesa russo nega qualquer comportamento ameaçador.

Publicidade

O presidente russo, Vladimir Putin, disse nesta terça-feira (1) que o Ocidente ignora as principais preocupações de seu país em relação à segurança na região.

Putin também alega que os EUA tentam arrastar Moscou a um conflito. “Sua tarefa mais importante é conter o desenvolvimento da Rússia”, disse Putin sobre os Estados Unidos, em sua 1ª entrevista coletiva em mais de um mês. “A Ucrânia é apenas um instrumento para atingir esse objetivo.”

Hoje (2), Putin se reuniu com membros do Conselho de Segurança Russo para discutirem sobre a proteção e integridade do país.

Publicidade